terça-feira, 30 de agosto de 2011

Notícia

A agência de notação "Fitch" acaba de divulgar uma análise da zona euro na qual conclui que Portugal deve ter condições para evitar uma reestruturação da sua dívida.

Seria longo estar a elaborar sobre isto, mas alguns anos de vida internacional ensinaram-me que, se há algo de verdadeiramente decisivo no saldo final do imenso esforço financeiro que Portugal está a fazer, essa é a possibilidade de escapar a uma reestruturação da sua dívida. Assim outros não criem condições negativas externas que nos obriguem a enveredar por esse caminho.

Por isso, esta notícia da "Fitch", a confirmar-se, como se espera, já é uma das melhores do ano de 2011.

9 comentários:

MFIGAS disse...

é pelo menos uma réstia de esperança... o limiar dos "sacrifícios aceitáveis" deve estar perto, mesmo para os portugueses, que estão habituados a uma economia anémica e por isso devem ter desenvolvido capacidades de resistência mental extraordinárias que lhes permitem (ainda) não seguir o caminho de espanhóis, gregos e ingleses e começar a partir a "rua".
Assim seja... e que quem manda no Governo perceba que os riscos de médio prazo não estão no descontrolo da despesa pública mas no crescimento económico (em Portugal e lá fora).

Mônica disse...

Eu continuo a torcer por voces!
com carinho Monica

Francisco Seixas da Costa disse...

Cara MÔnica: nunca duvidei! Muito obrigado

Portugalredecouvertes disse...

Obrigada Sr. Embaixador pela boa notícia
sou de opinião que devemos premiar as boas noticias e o que é positivo para nos dar mais ânimo, porque a situação é muito injusta para quem ganha pouco.
Então continue a acompanhar o "internacional" que não é fácil de entender, e escreva sempre.
Atentamente

Julia Macias-Valet disse...

A MÔnica é uma q'rida : )

Que bom que era se todos os comentadores fossem como ela...

Jose Tomaz Mello Breyner disse...

Deus o oiça Senhor Embaixador, esperança é o que mais precisamos neste momento.

(agora vou ter que escrever updaridfg) antes de publicar

Helena Sacadura Cabral disse...

Esperemos que se confirme mesmo, porque tão angustiante é o que nos tiram, quanto é o não sabermos exactamente para onde vai esse dinheiro.
Casos como o BPN e BPP, para não falar já de outros, sobre os quais começam a correr rumores, são causa de injustiça social e responsáveis por uma boa parte da nossa insatisfação.

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Cuidado gente

Com papas e bolos se enganam os tolos. Logo de seguida, veio a notícia de que a Fitch vai baixar de novo o rating de Portugal.

Uma no cravo, outra na ferradura. Que País este... Lembra-me logo o «Pudera - como disse um célebre deputado da I República, dirigindo-se a outro parlamentar que usara contra ele a expressão - Vossa Excelência não está quieto com os pés...» Honni soit

Fada do bosque disse...

Lá está!... e segundo o que disse so Sr. Antunes Ferreira, só nos irão largar, as hienas, quando já nem os ossos restarem. As agências de notação nasceram como?! como os cogumelos?... geração espontânea?!
As empresas de notação financeira, par a par com o crime organizado ao mais alto nível... ao nível de destruir os Estados que lhes aprouver e todos nós as toleramos! Pior!... fazemos delas uma Religião. Dantes temía-se a Deus, hoje teme-se o rating. Ao que o Homem chegou!

curiosidade; Palavra de verificação do comentário: hunters. Nem de propósito...