terça-feira, 16 de agosto de 2011

"Eurobonds"

Leio hoje no título do "Público": "Eurobonds fora da agenda da cimeira entre Merkel e Sarkozy".

E recordo-me disto:

"O recurso ao endividamento comunitário, através de obrigações europeias (eurobonds), constituiria um sinal de empenhamento da União com soluções de natureza comunitária, num momento em que se verificam restrições de natureza orçamental para prosseguir, a nível nacional, acréscimos nos investimentos públicos, nomeadamente aqueles que eventuais choques assimétricos provocados pelos impactes diferenciados do euro no tecido económico e social da União vierem a justificar."

(in "Diplomacia Europeia - instituições, alargamento e o futuro da União", ed. Dom Quixote, Lisboa, 2002, pag 177)

Aqui deixo este extrato de um texto ("Uma Europa Solidária?") que escrevi, há mais de 12 anos, republicado em livro, em 2002.

11 comentários:

José Sousa e Silva disse...

Os "eurobonds" há muito que deviam ter sido instituídos.
Agora parece-me tarde.
Razão tinha o Senhor Embaixador quando publicou "Uma Europa Solidária" ; pena foi que não lhe tivessem dado ouvidos.
É pena !!!

Anónimo disse...

Pelos vistos, já era considerado um despesista, com muito agrado à "gordura" - agora estamos bem melhor, é o que dizem na CSocial deste País.

Receba as minhas cordiais saudações

Helena Sacadura Cabral disse...

Foi pena que o não tivessem ouvido na altura!

Helena Oneto disse...

"Il vaudrait mieux pour l'euro que l'Allemagne parte parce que les conséquences d'une restructuration de la dette en cas de départ de la Grèce, du Portugal ou de l'Irlande, seraient très importantes", a estimé lundi le Prix Nobel d'économie Joseph Stiglitz dans un entretien au cours de l'émission "Newsnight" de la BBC.
"Si l'Europe décide que le seul moyen de continuer passe par un fonds destabilisation ou de solidarité sous la forme d'eurobonds, dont l'Allemagne ne veut pas, alors ce sera à l'Allemagne de partir", a-t-il ajouté. in "Le Monde.fr" 16/08/2011

Afinal para que servem os prémios Nobel de economia?

Anónimo disse...

Isso sim, seria uma união forçada e à força!

Antes de mais há de questionar os portugueses, e restantes povos europeus, se eles querem viver numa Europa Federal.

Anónimo disse...

Senhor Embaixador

Cinjo-me nitidamente à sua opinião, até porque a impotência gera fenómenos de rendição por perplexicidade que anestesiam...

Acho que estamos a viver uma época dessas, Um autentico descanso para quem governa...

Oh que desafios!
Isabel Seixas

ARD disse...

"Europa Solidária"?
Onde?! Onde?!!
No vocabulários dos anões políticos que governam a Europa a solidariedade tem mais ou menos o mesmo peso que o dogma da infalibilidade do Papa.

Alturense disse...

Depois da denominada cimeira Merkel/Sarkozy, bem como das decisões que tomaram à revelia de todos os tratados, a União Europeia ainda existe?

Parece que nos ficamos por um novo Império Romano, comandado por dois co-imperadores.

E, com o pedido antecipado de perdão, se roço a grosseria, nós, os pequenos, arriamos as calças.

Mas parece que por cá ninguém se preocupa. Ou andarei muito distraído?

O CDS, que até está no Governo, não terá nada a dizer sobre mais este atentado às soberanias?

Carlos Fonseca

Fada do bosque disse...

Se isto fosse o facebook eu colocava um "gosto", no comentário de ARD!

Anónimo disse...

Desculpe, não saber dominar bem a lingua, mas, parece que "esperteza saloia" é um bom nome, para as vossas pretensões: "As Eurobonds são um mau sinal enviado para as economias nacionais que falharam. Cobrir os riscos de outros países com Eurobonds vai imediatamente elevar as taxas de juro na Alemanha e isso teria efeitos dramáticos no crescimento do nosso país", afirmou o ministro alemão da Economia,
Ler mais: http://aeiou.expresso.pt/alemanha-ministro-da-economia-volta-a-rejeitar-eurobonds=f669020#ixzz1VaKNLYTg

Diogo Frantz M.

Fada do bosque disse...

Mas que gente tão agressiva! Sigo outro blogue onde que os comentadores são tão amáveis com o blogger e outros comentadores!... Um blogue também de muita cultura e já com 11 anos. Isso é tão raro hoje em dia...
Adoram empurrar para baixo, então se forem pessoas com um certo carisma na sociedade... deve ser por isso, que este País não sai de cepa torta. Como dizem muitos brasileiros, os portugueses andam de mau humor.
Já agora Anónimo, mau sinal é ISTO!
Se ficam nervosos porque sentem medo, respirem e contem até 100 antes de serem arrogantes... é que não adianta mesmo nada e ninguém o provocou.