terça-feira, 19 de julho de 2011

Ulan Bator

Há dias, disse à embaixatriz da Mongólia em França, sentada ao meu lado num jantar, que um sobrinho meu ia, de moto, a caminho da capital do seu país, Ulan Bator, partindo de Lisboa. 

Fiquei com a sensação que ela achou que era uma "história" e disse aquele "how interesting!" que a boa educação recomenda, em sociedade, que acolha aquilo em que não se acredita de todo. E logo mudou de conversa.

Tenho pena de não poder dizer-lhe, hoje, que ele já lá chegou.

Bom regresso, Paulo!

2 comentários:

Estrela N. disse...

Não devemos maçar-nos com petulantes.
Mesmo, ou sobretudo, de paragens, digamos, exóticas.

Anónimo disse...

Tinha a sua piada o nosso compatriota Paulo enviar um postal de Ulan Bator à senhora embaixatriz.

Isabel BP