sábado, 2 de julho de 2011

Montfermeil

Nunca tinha ligado o nome de Montfermeil, um dos cenários do "Les Misérables", a famosa obra de Victor Hugo, à localidade existente com esse nome, nos arredores de Paris.

Nesta como noutras cidades próximas na região suburbana parisiense, residem cidadãos portugueses e na respetiva municipalidade há já eleitos luso-descendentes. Monfermeil tinha sido, em 2009, uma das minhas primeiras deslocações fora de Paris, após a minha chegada.

Na passada sexta-feira, correspondendo a um convite do "maire" da cidade, Xavier Lemoine,  estive presente numa representação "son et lumière" do "Les Misérables", realizado no espaço urbano de um "chateau" (o que, no conceito francês, não significa necessariamente "castelo", mas pode, como é o caso, designar um solar ou mansão). Foi uma magnífica experiência, que bem justificou a longa deslocação, em hora de ponta. Tratou-se de um espetáculo de grande qualidade, uma teatrealização levada a cabo por amadores locais, com uma surpreendente originalidade cénica. Tendo visto, no passado, representações musicais do "Les Misérables", em Londres e em Paris, confesso que esta versão teatral esteve bem à altura desses momentos. 

4 comentários:

Teresa disse...

Eu tenho uma paixão tão assolapada por Les Mis que até criei para eles uma etiqueta no meu blogue. Que vai em dez entradas (fui verificar).

http://gotaderantanplan.blogspot.com/search/label/Les%20Mis%C3%A9rables

Anónimo disse...

montfermeil e' uma ville mais arabe do que francesa tem alguns portugueses que emigraram para terras francesas nos anos 60,70 e 80 mas de resto mais ninguem ficou por la' e' bom dizer que uma boa parte dos conflitos e'tnicos bem recentes em terras franceses iniciaram-se em montfermeil nos bosques,nao e' um lugar agradavel para visitar muito menos para se viver .quem como eu viveu na avenida Henri Barbusse em tempos se podia caminhar de dia e noite sem preocupacoes e neste momento nao e' bem assim em 1997 os magrabinos assasinaram um motorista dos autocarros que tranportavam as pessoas para bobigny por meia duzia de tostoes, jamais voltarei a esse maldito lugar magrabino em plena terras gaulesas.

patricio branco disse...

os miseraveis são (é) com guerra e paz os 2 maiores romances da literatura. Obras narrativas só comparaveis à odisseia.
bem depois vem o d. quixote.
Opinião minha, claro.
Muitas adaptações têm sido feitas dos miseraveis, cinema, teatro, musical. distingo um filme a preto e branco italo-francês com jean gabin e gino cervi que era uma optima adaptação do romance.
Existe portanto tambem uma adaptação son et lumière.
Em tom mais popular, de aventuras, existe tambem um grande romance, o conde de monte cristo.

ERA UMA VEZ disse...

Anos noventa e tal.
Primeira vez em Londres. Primeiro musical. Um teatro antigo e lindo e uma viagem divertida pelas ruas da cidade surpreendente, num taxi ex-libris.

Nós e os dois filhos.
Cuidámos do visual, a ocasião merecia. E na média luz tudo começa...e sobe e cresce e prende e o cenário vira e agora é a revolta e as bandeiras e a música e as vozes, ai as vozes...
E nós suspensos.. Velho sonho desde Jesus Cristo Super Star. Momento a guardar no "Cofre Virtual dos Momentos".
Então ela segreda mamã mamã tenho lágrimas até às maminhas. Travei o riso. À saída ele olhou-nos e afirmou de forma solene: Agora é que nada me vai impedir de ser actor. Isto é sublime. E hei-de fazer musicais em Portugal.

Passaram talvez quinze anos. Ambos voltaram a Londres em trabalho ou por conta própria. Muitos espectáculos.Ela muitas vezes em reportagem.
Ele é actor e canta. Musicais já são três. S. Luis, Tivoli e Coliseu do Porto. Protagonista.

OS MISERÁVEIS. Um dos pontos de partida. Obrigada VICTOR HUGO.
Cada vez que subires ao palco farás maravilhas.