sábado, 9 de julho de 2011

A comandante

Ontem à tarde, no início do voo Paris-Lisboa, antes das boas-vindas aos passageiros, ouvi uma hospedeira perguntar para outra: "Digo 'a comandante" ou 'o comandante' ?". Quem dirigia o avião era uma senhora. Disse "a comandante", claro.

Durante o voo, li uma longa entrevista de Maria Filomena Mónica a Anabela Mota Ribeiro, no "Jornal de Negócios". Nela se falava muito dos homens, do papel de afirmação da mulher na sociedade e de uma suposta complacência machista-latinista dominante em França no caso Dominique Strauss-Kahn (quem terá criado esta falsa ideia em Portugal?). Sintomática é a forma como o texto acaba: perguntada pela entrevistadora se a conversa teria decorrido do mesmo modo se tivesse sido um homem a colocar-lhe as perguntas, Maria Filomena Mónica (cito de cor) disse que não, que nesse caso teria sido mais agressiva nas suas respostas.

Não tem muita graça ver o machismo do outro lado do espelho.

17 comentários:

Alcipe disse...

Chamar-lhe-ia antes snobismo decadente, mas é só uma questão semântica...

Anónimo disse...

«Comportamento gera comportamento»
Se os olhares Matassem(Filme)

Isabel seixas

José Barros disse...

Pessoalmente não consegui reprimir o meu pensamento de me transmitir que a Senhora da fotografia é muito bonita, que a farda lhe assenta mesmo bem e que apresenta um ar de seriedade e competência. Claro que não diria a mesma coisa de um homem e por isso não sei se será “machismo” exprimi-lo!
Sei que as mulheres sempre tiveram mais liberdade em exprimirem estes sentimentos em relação aos homens sem serem acusadas do que quer que seja. É para reivindicar o direito à igualdade de expressão entre homens e mulheres que ouso exprimi-lo!

Anónimo disse...

Senti e pensei exatamente o mesmo que o Sr. e excelentíssimo comentador José Barros, e diria exatamente a mesma coisa de um homem, reconheço que a liberdade de expressão para as mulheres é mais livre ou?...Talvez menos castradora?!... Não?

Anónimo disse...

Sr. Embaixador esqueci a identificação do comentário das 15 : 17,eu sei irrelevante, mas pronto.
Isabel Seixas

Anónimo disse...

O sr embaixador perdoe. Quem dirigia o aviao era uma senhora, disse. E se fosse um homem, era um senhor?


bem haja


um anonimo

Anónimo disse...

Abençoado avião que é tão bem comandado...

Anónimo disse...

Maria Filomena Mònica não perde opurtunidade de exibir uma certa visão"very british" sobre todos os temas acerca dos quais lhe pedem opinião.
Confesso que reconhecendo que a senhora é culta e inteligente incomoda-me o tom imperial.
EGR

EGR disse...

Maria Filomena Mónica é sempre "very british" e exibe permanentemente um ar de quem paira muito acima deste povo e deste país onde lhe calhou nascer.
EGR

catinga disse...

Gostei do "senhor x senhora". É, de facto um resquício que não desaparece como, aliás, tudo aquilo que assegure às mulheres qualquer tipo de vantagem ou deferência. Com isso não há feminismo que se preocupe.

Helena Sacadura Cabral disse...

Ai! Caro Alcipe que sorriso rasgado o meu...
Há bem pouco tempo tive uma discussão com alguem que me dizia que, "estranhamente", eu defendia DSK, como se tivesse que, por ser mulher, ver a questão de um único ponto de vista.
Meu caro José Barros pode crer que se a foto apresentasse um comandante bem parecido, eu diria de certo o mesmo...e creio que não será "feminismo" exprimi-lo!
Pois a mim o que me interessa verdeiramente e aquilo por que me bati e bato é justamente pelo "direito à diferença". Igualdade, sim, mas para as oportunidades!

José Sousa e Silva disse...

Fez muitíssimo bem em chamar-lhe comandante e não comandanta porque agora estão na moda tamanhas aberrações como chamar Presidenta e se fosse um homem teria de ser Presidento. E assim sucessivamenta,perdão, sucessivamente.

Margarida disse...

Se Maria Filomena Mónica sente um irreprimível desprezo pela mediocridade, o provincianismo e a tacanhez, e se não é tolerante nem tem espírito missionário, só lhe fica bem assumir-se sem pejo e não recear o que dela possam dizer ou pensar.
É claro que o mundo pode exprimir-se também sobre ela segundo as suas convicções, como sucede.
Por mim admiro-a e gosto dela como é.
Mesmo rezinga e 'imperial' (ou por isso mesmo) se pudesse abraçava-a e beijocava-a (coisa que ela odiaria, of course!) e chamava-a por mimalhices fofinhas, porque sendo uma académica sénior e já avó, sei que também é ainda a menina que se debruçava, curiosa e destemida, sobre o mundo todo à sua volta da janela de casa e da vida.
Fazem falta mulheres assim.

Fada do bosque disse...

Estou com o caro colega comentador José Sousa e Silva!
Quanto a feminismos, foi uma onda que penso felizmente já passou e o que infelizmente passou também, foi as mulheres terem esquecido o que com muitas lutas, outras conseguiram para todas nós. Um desses sintomas é a arrogancia a que essa senhora se prestou, outra é a mulher objecto que aparece na publicidade.
a comandante é linda, é inteligente e poderá ter um cargo invejável para muitos, mas há uma coisa que não ocupa espaço: a Humildade. Quando este Valor não existe, a inteligência deixa de ser importante pois fica do lado sombrio.
Não considero um elogio a uma mulher, feminismo nem tão pouco machismo... :) Acho bonito venha de que lado vier... só que custa na generalidade dar um elogio... quanto a crítica destrutiva, é já muito mais fácil.
Pior que o binómio feminismo/machismo é o preconceito que as pessoas têm, de que quem elogia está à espera de algo em troca...ou então é fraco de carácter... vai daí, parece que têm medo de elogiar... triste. :(

Anónimo disse...

Fanático feminista que sou, cumprimento a bela comandante, que tem de ser - é - mesmo muito boa, melhor que os machos, para conseguir lugar a eles reservado.
Sobre MFM, sabendo que de anónimo não conta a opinião, permito-me partilhar a dos caros FSC, Alcipe e EGR, e transmitir a opinião, que para mim conta, cuspida pela velha rimalhadeira, após leitura da entrevista:

fui ler pra ter manter prazer e desprazer
de não ser só a não saber envelhecer
ó er ó er.

Já sobre o DSK, a velha senhora parece concordar com a cara HSC, à sua maneira interessada, claro, de ts confessa:

tens kapa ninguém te capa
se ela quer papas e escapas
bem te quero eu dsk
queiras tu e me cá papas

ai homem em mim mulher
ai se ambos quisermos que entre
ai que é tão bom resolver
a diferença que há entre

sonho maluco de velha idiota
quem não é cuco por jovens opta.

Helena Oneto disse...

Nada melhor para distrair que vir aqui (ler alguns comentários:)!

Anónimo disse...

Na onda do vale mais cair em graça que ser engraçado, a nossa amiga disfarça de velha para obter dividendos de tudo posso escrever, que até o Sr. Embaixador com endeusado respeito à idade deixa passar sem riscar ...

Vai bonita a brincadeira...

Subscrevo de coração a Helena Oneto.
Isabel Seixas

Mas cá para nós, com esse arrebatamento a nossa amiga velha ainda nos passa a perna...

Esperta será que caça ratos???!!!...