terça-feira, 8 de março de 2011

"Tradução" automática

Alguns leitores têm-se mostrado divertidos com certas "soluções" que resultam da utilização do mecanismo de tradução automática que passou a estar colocado no blogue (clique, à direita, em "traduire" ou "translate" para ver a versão francesa ou inglesa do blogue).

O objetivo deste sistema (gerido por uma máquina, sem intervenção humana) é proporcionar a leitores que não tenham o português como sua língua a possibilidade de perceberem, em termos muito gerais, o assunto que é abordado em cada post. Como é óbvio, não se trata de uma verdadeira tradução, mas sim de uma mera aproximação, quase palavra-a-palavra. Devo, porém, dizer que considero o saldo global muito positivo, se aceitarmos o limitado objetivo do exercício.

Reconheço que, de facto, alguns resultados obtidos pelo mecanismo acabam por ser verdadeiramente hilariantes. Por exemplo, e como notou um atento comentador, a frase "fui beber uma bica, ali ao lado" surge, em inglês, como "I was drinking a fountain, next door"...

7 comentários:

Luiz Augusto Silva disse...

Temos que perdoar. Até eu, que sou brasileiro, tive que recorrer a um dicionário para entender...

Aqui não se toma bica, embora se tome água de bica. Toma-se também banho de bica, que é coisa muito boa.

Toma-se uma bicada, mas aí ficamos bicados...

cunha ribeiro disse...

Espero que não traduzam os nomes, pois não gostaria de me transformar num petit " ruisseau".

Ou imagine-se um nome distinto que todos conhecem mutar para " François ... De La Côte"..., passe o abuso.

César Ramos disse...

Senhor Embaixador,

Do mal, o menos. Também acho estas máquinas tradutoras positivas para contrariar o efeito, alegadamente, 'Torre de Babel'.

Tenho seguidoras árabes - dos países do Golfo -, que dão-se ao diálogo numa liberdade de expressão admirável [até quando?] e dizem-me: «Viva la tekunologia»!

Percebo-as perfeitamente e por respeito, como não sei árabe e não confio nas máquinas, respondo aos comentários em inglês ex-colonizador!

E pronto! O obstáculo de Babel é ultrapassado e a gente lá se entende (...)

Assim eu... percebesse os Deolinda!

C/os meus cumprimentos
César Ramos

Anónimo disse...

Pois a tradução conferia-lhe uma ação bem mais...

Arrojada? exótica...Inesperada
Na...

Atendendo ao contexto do dia...
Isabel seixas

patricio branco disse...

ainda não experimentei, qualquer dia lá irei, por curiosidade.
A tradução automatica sofre das mesmas limitações da correcção automatica, que por vezes nos sugere coisas delirantes para substituir o que escrevemos.
Mecanismos bons, que aos poucos se irão aperfeiçoando, mas que terão sempre as suas limitações.
Como será a tradução de "bica" em francês?

Anónimo disse...

Ainda não tinha experimentado!!!

Isabel BP

Julia Macias-Valet disse...

Sim, mas temos que admitir que passar de um "allongé" a um "abatanado" também nao é coisa facil...