segunda-feira, 21 de março de 2011

Poesia*

Portugal: questão que eu tenho comigo mesmo,
golpe até ao osso, fome sem entretém,
perdigueiro marrado e sem narizes, sem perdizes,
rocim engraxado,
feira cabisbaixa,
meu remorso,
meu remorso de todos nós...

Alexandre O'Neill (1965)

*no dia internacional da poesia, ainda

9 comentários:

Alcipe disse...

Excelente escolha! Ronaldo Azenha não faria melhor...

Alcipe disse...

E que bela fotografia!

Helena Oneto disse...

Poema e fotografia espantosamente fieis!

Julia Macias-Valet disse...

A ediçao deste ano acaba hoje :

http://www.printempsdespoetes.com/index.php?rub=programme&page=159

Mônica disse...

Poesia cabe em todo lugar e aqui também;.
com carinho Monica

patricio branco disse...

ontem foi o dia internacional ou mundial da poesia, mas parece me que tambem da arvore e ainda doutra coisa que já não sei. Serão estes dias bem aproveitados para celebrarem os objectivos a que estão dedicados?
Interessante a imagem feira cabisbaixa. Penso nela e no que significará. Um portugal sem democracia e subdesenvolvido em que os portugueses sem alegria andavam de cabeça baixa, tristes?

Julia Macias-Valet disse...

Caro Patricio Branco, pois para mim ontem foi o dia dos anos de uma das minhas filhas e...posso-lhe garantir que o dia foi bem aproveitado para celebrar os objectivos a que estava dedicado ! : ))

Viva a Primavera ! E todas as primas desde que estas tragam um pouco de sol, de flores e...ja agora de poesia ; )

Santiago Macias disse...

Do mesmo poema:

ó Portugal, se fosses só três sílabas
de plástico, que era mais barato!

Anónimo disse...

Poema e fotografia a condizer. Lindíssimos!

Isabel BP