quinta-feira, 31 de março de 2011

Jornalismo

Há dias, já no auge da crise na Líbia, o jornalista da RTP, Paulo Dentinho, fez uma magnífica entrevista a Mouammar Kadhafi, um "furo" jornalístico da maior qualidade. Equilibrada e inquisitiva q.b., a conversa foi crescendo de ritmo e foi marcada pela inteligência e pertinências das perguntas, que permitiu extrair respostas curiosíssimas. 

Vi a entrevista de Paulo Dentinho ser citada, abundantemente, em toda a comunicação social internacional, com extratos a correrem o mundo das grandes televisões. Curiosamente, ou talvez não, esta excelente peça de jornalismo passou quase despercebida em Portugal, pelo menos a avaliar pelo que me chegou.

Será que se tivesse sido produzida por canais privados, com outros meios coadjuvantes de ressonância mediática, o destino português da peça teria sido outro? Deixo a pergunta.

10 comentários:

Dulce disse...

Aqui na África do Sul e via RTPinternacional assistimos a essa peça, muito bem conduzida pelo jornalista, a ponto de deixar Kadhafi de mãos atadas (embora ele saiba sempre dar a volta...)

Mônica disse...

Eu não vi por aqui mas parabenizo ao reporter.
Hoje estamos vendo o velorio de Jose de Alencar desde ontem.
com carinho MOnica

Helena Sacadura Cabral disse...

Ora aí está uma bela pergunta Senhor Embaixador!
Até porque Paulo Dentinho é um excelente jornalista.
Então porque será, pergunto eu, malévola?!

JRibeiro disse...

Tem razão. A RTP é uma mal-amada entre alguns circulos de bem pensantes portugueses. Até não reconhecem a importância da RTP, quando do referendo em Timor, para o povo timorense, como pude constantar em Dili. Será ignorância ou desosnetidade???

Anónimo disse...

Vi a reportagem no Telejornal da RTP. Partilho a análise que o sr Embaixador faz deste excelente trabalho jornalístico. E é verdade que ou andei distraído ou mesmo não foi devidamente valorizado intra muros. Mas quando uma telenovela portuguesa dum canal privado ganha um galardão lá fora somos bombardeados semanas a fio com autopromoções. Resta-nos a consolação de ver o Paulo Dentinho trabalhar em Paris, retratando a comunidade portuguesa com justeza e sem condescendência.

Manuel Antunes da Cunha

Anónimo disse...

Portugal estava mais preocupado com q crise do Sócrates, do Passos, do Portas, do Cavaco, e etc... ah! e com os debates no Sporting... eu até acho que a RTP não deu grande destaque à entrevista preferiu de longe os temas citados e se ela própria não a valorizou...

Anónimo disse...

Pois lá está, como diz um anónimo, se coincidiu com futebol, nem todos os Dentes e Tinhos do Mundo levavam a populaça a ver a dita entrevista. Por outro lado, convenhamos,quem no "rectângulo" se interessa pelo rapaz Kadhafi? Uma minoria. Até os compreendo, tendo em conta o que passam no seu dia a dia, economicamente. Convém sublinhar, sobretudo para quem não percebe, ou não quer ver, que aquilo que se passa além fronteiras, pouco interessa à rapaziada local. É um "hábito" cá da terra. Enraizado. Goste-se, concorde-se, ou não.
A malta segue a Política e o Futebol. Tão só! E já é muito esforço.
P.Rufino

Anónimo disse...

Concordo com o que refere o P.Rufino, há interesses que se sobrepõem a uma boa reportagem.

O jornalismo feito com seriedade não tem grandes audiências... Os espectadores foram "instruídos" para ver telenovelas e reality show.

Isabel BP

Anónimo disse...

Oh!

Se a verdade fosse o caminho a fé seria esperança e Paz...

Se a verdade fosse a verdade não tinha a desfaçatez de andar sempre em guerra...

Se o poder pudesse mesmo seria saudável...

Não?
Podemos sempre redefinir os termos, talvez invertendo-os, dá na mesma... Tanto faz como fez, é meramente cíclico...

Maior a prevalência e incidência em geografias já referenciadas.

Que mais dá a morte está certa.
Isabel seixas

Helena Sacadura Cabral disse...

Ai o caro Anónimo que me tocou no Sporting...