sexta-feira, 18 de março de 2011

Futurista

As opções para um programa lúdico eram algo escassas, naquela pequena capital europeia. O embaixador português e o seu secretário bem se tinham esforçado por encher a agenda do jovem secretário de Estado, oriundo de um ministério técnico, na tarde que lhe restava na cidade. 

À proposta de visita a uma livraria inglesa, o político comentou que tinha estado em Londres, há poucas semanas, embora, através de outros comentários, não desse mostras de ser pessoa altamente interessada pela leitura. O passeio pelos arredores, a visita ao porto e ao famoso parque da cidade não o entusiasmaram, da mesma maneira que estava a manifestar um visível enfado pela explicações arquitetónicas que o embaixador fazia, à passagem por certas artérias.

A certo ponto, o embaixador teve uma ideia:

- O senhor secretário de Estado não estará interessado em visitar o museu nacional? Tem peças lindíssimas...

O jovem político olhou para o diplomata, com um sorriso indefinível mas "blasé", e comentou:

- Sabe, senhor embaixador, a mim o passado diz-me pouco e os museus só nos mostram o passado.

Aí, o secretário de embaixada não resistiu e lançou, "fininho":

- É verdade que os museus "têm a mania" do passado. Não há muito a fazer...

O nóvel governante fez uns instantes de silêncio, mas não "se ficou":

- Não é bem assim, sempre há os futuristas...

De facto. O secretário ainda pensou falar-lhe em Marinetti, mas recuou, temendo, seriamente, que ele pensasse que era um médio ala da Juventus.

18 comentários:

Anónimo disse...

Espero que o dito Secretário de Estado esteja afastado da vida política... e não tenha ido para uma empresa pública.

Tem cá um défice de inteligência!

Isabel BP

Ana Paula Fitas disse...

Aplaudo... intensamente!... simultaneamente muito triste... e divertida!
Muito, muito obrigado, caro amigo e notabilissimo senhor Embaixador.
Um grande abraço.

O Eleitorado Morre Mas Não Se Rende disse...

futurista ?

mais parece um totem tribal

o futuro disfarça-se de passado por vezes

ou cria-se a ilusão que o passado é futuro

Anónimo disse...

O útero

Masculino

Olá Pai

Há sempre um hoje
Para Ti
Chama-se Amor

Sempre sorri
Sem qualquer temor
Porque fica, não foge

Olá Pai

Todos todos têm
Alguns a hibernar
No banho Maria dos sonhos

É tão real o Teu Amar
Que antes que te desenhem
És aderência dos nossos sobrolhos

Olá Pai

Que te posso oferecer?
Tu é que me deste...
Até a incubadora do meu útero

Bem sabes, foste tu que fizeste
De modo que és a vida do meu futuro
És o Best seller que continuo a Ler

Simplesmente Amo-te
Meu Deus
Isabel Seixas

patricio branco disse...

Que "frete", com certas pessoas não vale a pena ter grandes preocupações; alem da cultura ou arte não lhes interessar, possivelmente este preferia ficar só, a flanear por ali.

Cunha Ribeiro disse...

" Um médio ala da Juventus"!!!
Mas dos antigos, ou dos modernos, Sr Embaixador?
É que não me parece que o jovem Secretário de Estado tivesse grande memória dos mais antigos ou clássicos... ( Tal era o seu desprezo pelo passado).

Francisco Seixas da Costa disse...

Caro Cunha Ribeiro: a historieta passou-se exatamente há 30 anos. A Juve tinha outra equipa...

Cara Isabel BP: acertou! Por muito tempo, vi-o gestor público.

Anónimo disse...

Pois então...

7. Já não há beleza senão na luta...
A poesia deve ser concebida como um violento assalto contra as forças ignotas para obrigá-las a prostrar-se ante o homem...

In...Manifesto Futurista de Marinetti

Permita-me com ligações mais...
Democráticas
Ao Pai do duas ou três coisas

Talvez preferisse Álvaro Campos, mas acontece que hoje sou mais espírito Caeiro...


"O essencial é saber ver,
Saber ver sem estar e pensar,
Saber ver quando se vê,
E nem pensar quando se vê,
Nem ver quando se pensa."


ou
Ao Pai

"Canto, e canto o presente e também o passado e o futuro
Porque o presente é todo o passado e todo o futuro
E há Platão e Virgílio dentro das Máquinas e das luzes elétricas
Só porque houve outrora e foram humanos Virgílio e Platão."

F. Pessoa

Citado por Isabel Seixas

Julia Macias-Valet disse...

As leituras do passado, preparam-nos para o presente e dao-nos conselhos para o futuro...Pena é que os politicos nem sempre gostam de Historia...às vezes gostava de saber do que é que eles gostam...os homens que nao governam !?

Tera sido "La bataille de Tripoli" (1911) que o lembrou hoje de Marinetti ?

Helena Sacadura Cabral disse...

Senhor Embaixador, não terão repescado tão impressivo talento?!

Helena Sacadura Cabral disse...

Minha querida Isabel Seixas
Adorava o meu Pai. Mas enquanto o dia da Mãe continuar "móvel" desisto do 19 de Março!

Francisco Seixas da Costa disse...

Caras Julia Macias-Valet: uma das grandes vantagens de já não precisarmos de fazer curriculum é poder confessar ignorância. Apenas li, de Marinetti o "manifesto" e, tenho ideia, alguns outros textos do mesmo género. Mas nem uma linha de ficção, nem mesmo das suas aventuras pelo fascismo.

Anónimo disse...

In...Manifesto atual
de Isabel Seixas

1- Queremos o que queremos...
2-Pode ser basicamente o que sentimos
3-Satisfazer as nossas necessidades humanas, pelo menos as básicas.
4- Promover as esposas que indiferentes às megalomanias dos maridos continuam em casa de pedra e cal a segurar o barco...A tomar conta...
5- Recrutar como bons maridos os bons, claro aqueles que fazem a sua obrigação, tudo em casa sem se importar com a malfadada primeira vez... Indeferir liminarmente os outros, mesmo aqueles que só sabem fazer cama, sem cozinha não há nada para ninguém...

Agora vou andar a andar a falar...

e logo vejo ...
Isabel seixas

Manuel Leonardo disse...

O Futurista
No duas ou tres coisas no sabado3 de Outubro de 2009 foi escrito....

» O tempo veio provar que tais reticencias eram totalmente infundadas e que a evolucao da Alemanha se fez num sentido consoante os interesses da unidade europeia , para a qual muito contribuiu e que continua hoje a ser um dos principais esteios ».
O que hoje dia 20 de Marco de 2011 diria duas ou tres coisas acerca desta actual Alemanha ?
Eu digo Ela ira colher os seus frutos no futuro .
Mesmo sem oculos as Mulheres enxergam mais do que Grandes Homens
Com respeitosos cumprimentos sou o
Manuel Joaquim Leonardo
Peniche Vancouver Canada

Francisco Seixas da Costa disse...

Caro Manuel Leonardo: a minha frase de 2009 permanece válida, no essencial. A Alemanha, com todos os avanços e recuos, foi um país fundamental para os avanços que a unidade europeia deu, do tratado de Roma em diante. Podemos interrogar-nos sobre se algumas das mais recentes decisões políticas que emanam de Berlim vão sempre na linha de um reforço imediato da construção europeia. Mas também é natural que o país central no projeto europeu possa "ter dias"... Esperamos é que não tenha muitos!

Helena Sacadura Cabral disse...

Vai-me perdoar a ousadia, Senhor Embaixador, mas espero que essa da Alemanha "ter dias" não tenha uma pontinha de crítica ao género feminino!:-))
Quanto ao resto estou inteiramente de acordo consigo.

Anónimo disse...

6. Somos, logo somos, o dinamismo de sequências de ciclos vitais onde o passado fomos encarnados nos mesmos sonhos,dos nossos ancestrais e hoje a maior certeza de sempre o presente somos também o que fomos e seremos...
Oh! que novidade... Até me sinto Colomba...

Vou mas é trabalhar


7. Agradeçamos com carinho as prendas oferecidas com o amor de Judas em qualquer dia de qualquer casamento em envelope ornado a diamantes de sangue e desfaçatez da pseudoseriedade com as duas palas o açaime e o cinto de castidade, obrigadinho sim? agradecemos e retribuímos, com respeito pela manutenção da individualidade e liberdade individual...Lá por ser míope conheço o Braille...
Isabel Seixas

Anónimo disse...

8.Louvemos a transparência do para à frente é o caminho homens e mulheres adversários de mãos dadas no respeito incondicional pela diferença, pelos sonhos da equidade de ser feliz mais que ter razão...

Respeito primeiro pela vida...
E não o esquecer no primeiro atalho da conveniência e do venha a nós o reino do supérfluo dinheiro riqueza material despojada da espiritual, da soberba ganância da terra só para um sem partilha, do uso descarado do poder matar só porque tem armas de poder e sair sempre impune como se fossem os Tais Deuses mandatados... Por Eles próprios...
Isabel seixas