sexta-feira, 22 de outubro de 2010

"Ágora"

Um convite da Junta de Extremadura levou-me, há dias, a Espanha, onde, de 18 a 24 de outubro, tem lugar a 10ª edição do "Ágora - el debate peninsular". Devo dizer que foi para mim uma agradável surpresa confrontar-me com este magnífico projeto, que mobiliza algumas centenas de pessoas, sob a direção competente de Ignácio Sanchez Amor.

Fiz parte de uma mesa sob o lema "Geometria Variable - los nacionalismos en la península ibérica", moderada pelo professor de Ciência Política da universidade de Madrid, Carlos Taibo, por Maria do Carmo Dalmau, ligada às questões da Catalunha, por Xosé Manuel Beiras, fundador do Bloque Nacionalista Gallego e pelo próprio diretor do Ágora, Sanchez Amor. 

Foi um excelente e muito vivo debate, de que deixo apenas uns escassos tópicos da minha intervenção inicial:
  • a Espanha no imaginário diplomático português. Os "demónios ibéricos" da História. Ditadura e democracia.
  • os "três D" da antiga relação luso-espanhola: desconfiança, desconhecimento, dissimetria.
  • Espanha e Portugal: as realidades por detrás da retórica.
  • dissídios do passado recente: os rios, as pescas, os comandos NATO, os bancos, etc.
  • problemas do presente: o proteccionismo espanhol, PT/Telefónica.
  • a relevância do fenómeno nacionalista espanhol na atual relação bilateral Lisboa-Madrid.
  • cooperação transfonteiriça: dois Estados e várias nações. Soberanias e cooperação. Realismo e respeito.
Confesso que foi um grande prazer participar neste exercício. Por lá estiveram muitos portugueses, desde Jaime Nogueira Pinto a Joaquim Pina Moura, de Manuela Ferreira Leite a Ricardo Araújo Pereira (esse mesmo! falando "de que se ríen los vecinos?").

Como me dizia, depois de uma saudável e solta jantarada, um (novo) amigo, Josep Sanchéz Cervelló, este tipo de encontros fazem mais pela amizade luso-espanhola que anos de discursos oficiais.

Saiba mais sobre Ágora aqui.

5 comentários:

Julia Macias-Valet disse...

Nao queremos os escassos topicos...queremos as dissertaçoes, as atas do encontro, !

La porque nao fomos convidados para a jantarada...podemos ter direito a mais qualquer coisa do que as "migalhas" : )))

Gracias. Y PUNTO !
PS. Yo nunca me he reído de mis vecinos ; )

patricio branco disse...

A Extremadura espanhola está na vanguarda e frente das relações com portugal e distritos limitrofes. Mais mesmo que a galiza, parece me. O estatuto da Extremadura (ou projecto de novo estatuto, não sei) inclui portugal como uma prioridade e o ensino oficial da lingua portuguesa como lingua estrangeira é uma realidade em inumeras escolas já. Para não falar de que badajoz é já a maternidade onde nasce grande parte dos alentejanos que habitam junto da fronteira (elvas)e no mesmo hospital são tratados e ali têm consulta diariamente dezenas de portugueses. Enfim, o que não encontram do outro lado.
Como comenta JMV esperemos que as intervenções de fundo e mais as conclusões sejam publicadas em volume, incluindo a de FSC.

Julia Macias-Valet disse...

Agora, sim ! ; )
Obrigada.

Anónimo disse...

Obrigada, gracias,HU... Júlia.
Isabel Seixas

Francisco Seixas da Costa disse...

Caros comentadores: a minha intervenção foi feita de improviso, com base nos tópicos que divulguei.