domingo, 15 de agosto de 2010

Era assim, ontem...

... o Douro, ao final da tarde (através de fotos de telemóvel). 

E pensar que há portugueses que ainda não visitaram esta região!

9 comentários:

Helena Oneto disse...

Que beleza!!! Tenho previsto lá ir em Setembro, pela primeira vez...

Anónimo disse...

Bela fotografia! Sempre “reverenciei” o “meu” Douro! Pena, de facto, que muitos optem por lhe passar ao lado (na maioria das vezes, todo o ano). Mesmo nesta altura, não troco o Douro pelo Algarve, que também tem paisagens e locais bem agradáveis (mas a evitar de todo entre Julho e Agosto!). Há, no Douro, muito a usufruir: paisagens, excelentes vinhos, gastronomia, gentes, terras encantadoras, património, etc.
P.Rufino

César Ramos disse...

... foi a melhor MMS que recebi desde sempre!

Fantástica a resolução do sistema fotográfico do telemóvel e, parabéns ao operacional que tal foto 'caçou'(...)

Acho bonito que se diga o "meu" Douro, mas 'preferia' que algumas pessoas pensassem que era 'estrangeiro' e o fossem visitar, até aprenderem que na nossa terra há muita coisa bonita ainda desconhecida.

Cumpts.
César

patricio branco disse...

que essa paisagem geografica e humana nunca seja estragada...

Anónimo disse...

Tenho o privilégio de já ter viajado bastante por este globo..mas nunca conheci um lugar que se aproximasse ao Douro em charme e beleza.

Fico sempre com dúvidas quando penso se será bom ou mau o facto de muitos portugueses ainda não o terem visitado..

Anónimo disse...

Um sol tímido declara a intenção de acariciar o mundo...

O silêncio das rochas embala desejos recônditos de chamar...

A água virtude de permeio ostenta transparências de sonhos narcisicos...

As casas senhoriais disfarçam-se de pequenez para convidar a hospitalidade...

"Era assim, hoje..."D´Ouro
Isabel seixas

Falta-me ir lá A Pé.

Anónimo disse...

Acordei o dia
Ainda de olhos congestionados de sangue, o céu deixou o sol passar e por-se a pé , primeiro num raio sem calor talvez camuflado pela higiene matinal, um galo obcecado pelo protocolo galináceo da pseudovirilidade emite automatismos de gritos de Ipiranga irritantes e sem eco, o cadelo late à distancia num timbre esganiçado a orquestração das aves divide-se em dedilhares de Carlos Santana e Paredes e vozes gemidas de Deep Purple no sweet child in time o Amieiro ainda está prostrado não há sinal de Ti, O sol empurra implacável a ultima nuvem figurante feminina com e sem poder e já quase Nada tem importância...
Isabel Seixas

Anónimo disse...

D´Ouro

O silêncio...
Das revelações
Jamais reveladas
Em poemas paisagem

É só o desígnio
De novas orações
Ávidas de protocoladas
De desfaçatez coragem

Fictício o D´Ouro mistério
Paisagem sofre adultério
A Outra faz perder o pelouro

Chaves Mulher Zona Termal
Pedras Solidez Loucura Normal
Ambas platina Competitividade Douro

Isabel Seixas

Anónimo disse...

Aprendi muito