terça-feira, 22 de junho de 2010

Coreia do Norte

Muito provavelmente, o meu sentimento patriótico não está, em matéria futebolística, à altura das circunstâncias. Ontem, ao assistir ao descalabro da equipa da Coreia do Norte perante a seleção portuguesa, e embora sabendo que um resultado folgado dava a Portugal uma margem de segurança importante para o apuramento para os oitavos de final, tive um insuperável sentimento de pena por aquele quase anónimo conjunto de jogadores, servido por um guarda-redes digno de um confronto entre-solteiros-e-casados. Para essa atitude contribuiu também o facto - provavelmente, pouco notado por muitos - de que os coreanos, em especial durante a primeira parte, praticamente não cometeram uma única falta, executaram um jogo disciplinarmente irrepreensível.

É que me recordei que, em 1966, no regresso a casa, depois da derrota por 5-3 contra Portugal, e não obstante terem então chegado bem mais longe na competição, os membros da equipa coreana e as suas famílias, segundo reza a história, acabaram por ter alguns problemas no seu país. Infelizmente, com o tempo, os tempos não mudaram muito para os lados de Pyongyang. Ontem, ao ver o resultado avançar para um registo de humilhação nacional, neste que foi o primeiro jogo de futebol transmitido em direto, desde sempre, pela televisão norte-coreana (!), não pude deixar de temer que agora possa acontecer coisa idêntica. A vida ensina-nos que, não raramente, a alegria de uns arrasta a tragédia de outros.

12 comentários:

Anónimo disse...

Entristece ainda existirem regimes onde as pessoas podem ter problemas por acções de que não são inteiramente responsáveis. Dito isto, oxalá o jogo Portugal-Brasil se salde, na sexta-feira, por 2-1 ou 1-0, senão o desgraçado de Carlos Queiroz lá passará de "bestial para besta". Oremos....
António Mascarenhas


António Mascarenhas

Anónimo disse...

Senhor Embaixador,

Não refere o risco de Portugal poder agora vir a ser o primeiro alvo de um missil nuclear da Coreia do Norte...

Julia Macias-Valet disse...

Ontem na brincadeira comentava com uma amiga que os coreanos até tinham ficado com os "olhos redondos !"
Desconhecia totalmente o que se tinha passado em 1996...por isso retiro o que disse.

Francisco disse...

Caro Embaixador, jogo é jogo não é caridade. Creio que há um elemento explicativo que não foi notado: consta que a equipa lusa atravessa grandes problemas internos e antes que explodissem para o exterior como aconteceu com a equipa da França, os responsáveis preferiram "implodi-los" para dentro do campo. Dito isto, estou na mesma linha de sensibilidade do Embaixador e diria que ficar por 3 a zero teria sido um resultado mais digno de um exemplar "fair-play".

Julia Macias-Valet disse...

E como eu dizia a um grande amigo meu o futebol é para ser levado com uma certa filosofia ....

http://www.youtube.com/watch?v=ur5fGSBsfq8

Alcipe disse...

Diz José Milhazes, de Moscovo:
A Selecção portuguesa, ao bater a equipa da República Democrática Popular da Coreia por 7:0, conseguiu a maior vitória na história das suas atuações no campeonato do mundo, escreve o jornal Sovietski Sport.
Esta opinião é partilhada por numerosos órgãos de informação da Rússia.
“Capitão! Sorri!”, escreve o jornal desportivo eletrónico championat.ru, referindo-se a Cristano Ronaldo, e sublinha que ele “finalmente pôs fim àvoto de silêncio”.
“O que dirá agora Kim Jong-il?”, pergunta o mesmo diário, e responde que “será interessante ver o que irão mostrar nos noticiários da televisão coreana”.
O portal desportivo Goalbox.ru interroga-se se a equipa coreana, depois de tão pesada derrota, não irá parar a um “campo de concentração.
“Lembramos que, em 1966, também no campeonato do mundo, e também depois de uma derrota frente aos portugueses (3:5), toda a equipa foi exilada para um campo de concentração. Tal foi a decisão dura da decisão do regime déspota da Coreia do Norte”, acrescenta.
Evgueni Lovtchev, antigo jogador da seleção soviética de futebol, escreve no Sovietski Sport: “Os portugueses fizeram-nos felizes principalmente pela atitude face às oportunidades de golo. Muitas oportunidades e nem uma grama de confusão ao terminarem o ataque. Todos muito concentrados”.
“Pelos vistos, quanto mais avançar o campeonado do mundo, mais iremos assistir a jogos de qualidade, espeteculares, com muitos golos”, frisou.
A imprensa desportiva russa destaca também as declarações de jogadores portugueses no sentido de que a seleção portuguesa não se deixará levar pela euforia e já pensa no jogo com o Brasil.

PUBLICADA POR JOSE MILHAZES

ana disse...

É verdade que nada podemos fazer pelos norte-coreanos.
Mas infelizmente são muitos portugueses não se interessam por assuntos que vão além do "mundo da bola".
Por exemplo querem e exigem produtos baratos, ignorando olimpicamente que os trabalhadores asiáticos, etc poucos direitos tem.

Maria Climénia Rodrigues disse...

Esta crónica, é uma pedrada no charco, do fácil esquecimento de um povo perante o drama de outros,é tão simples centrarmo-nos no nosso umbigo, e cantar vitória por coisas tão comezinhas, e não se trata de falar do perigo de um missil nuclear, trata-se de falar de seres humanos, que podem pagar bem caro, uma simples partida de futebol.... Que pena,sermos por vezes tão medíocres, e que bom ter alguém sensível ao drama humano, para escrever esta bela crónica. Parabéns Embaixador, como fazia José Saramago, ás vezes devemos lembrar e ter a força de escrever....

Anónimo disse...

Imagino a cara do “Querido Líder” à medida que o jogo evoluía. Logo para azar quando se tratava da primeira transmissão em directo! O “Querido” já deve estar a magicar um castigo “adequado” aos seus “rapazes”. Mas que tiveram dignidade durante este e anterior jogo com o Brasil, a quem criaram dificuldades, há que reconhecer. E aquelas lágrimas de um dos melhores jogadores deles ao ouvir o hino, mais nos faz simpatizar com aquela pobre equipa. Enfim, não direi é a vida, mas é assim o futebol. Corram com o “Querido”, é o que me ocorre dizer de momento!
P.Rufino

Helena Sacadura Cabral disse...

O que eu mais gosto é da expressão "Republica Democratica da Coreia"...

José Martins disse...

Mas o mais interessante é que os coreanos do norte ganharam o jogo ao Brasil... E por quantos golos ganharia a Portugal.
.
Interessante o video da vitória por 1 a 0 ao Brasil. Ver http://maquiavelencias.blogspot.com/2010/06/os-pobres-dos-coreanos-do-norteter-do.html

Anónimo disse...

Acho que uma das provas dos nove da democracia é o nível de tolerância á frustração aquando do intercâmbio de culturas "desportivas"entre paises...

Níveis de fairplay?!!!...

Enfim...

Concordo com a mensagem do Seu texto.
Isabel Seixas

Bem de qualquer forma Senti uma alegria enorme Por Nós...Portugal