domingo, 9 de maio de 2010

Liga de Paris

É na tarde da próxima sexta-feira, dia 14, que terá lugar na Embaixada de Portugal, 5 rue de Noisiel, em Paris, o Colóquio "A Liga de Paris e o exílio político português em França".

Esta foi uma iniciativa que entendi dever empreender, neste ano em que se celebra o Centenário da República", e que conta com a organização a cargo do Instituto de História Contemporânea da Universidade Nova de Lisboa.

Especialistas credenciados, como os professores Fernando Rosas, Yves Léonard, Luís Farinha e Cristina Clímaco, falarão, respetivamente, sobre meio século de exílio português em França, a política francesa e o regime salazarista, a Liga de Paris e o "reviralhismo", bem como o exílio anti-fascista português durante e após a guerra civil de Espanha. 

O acesso ao Colóquio faz-se por convite, mas qualquer pessoa interessada em assistir pode inscrever-se através do telefone geral da Embaixada (01 53 70 12 99), por fax (01 53 70 98 37) ou por e-mail mailto@embaixada-portugal-fr.org.

3 comentários:

Julia Macias-Valet disse...

Que optimo que seria se pudessemos sempre conhecer antecipadamente as palestras da Embaixada e do Instituto Camoes e nos pudessemos inscrever naquelas em que os temas nos despertassem curiosidade ou em que partilhassemos interesses.

No outro dia a minha filha Inês (9 anos, e optima cavaleira) quando leu o seu post "Cavalos" disse-me : Gostava tanto de la ter estado...

Francisco Seixas da Costa disse...

Cara Júlia: o problema com este tipo de eventos - e não há eventos da Embaixada e do Instituto Camões, é tudo o mesmo - é que o espaço e o número de lugares são limitados, a entrada não pode ser livre e o sistema de inscrição é complexo. Veremos se o sistema criado para o Colóquio sobre a Liga de Paris funciona. Talvez o possamos utilizar no futuro.

Anónimo disse...

Uma excelente iniciativa, tendo em conta o que se celebra e sobretudo uma “certa” (monarquico-reaccionária) constestação, ou crítica a essa mesma comemoração. Este Post é interessante pelo simples facto de que muitos poucos teriam esta “ousadia” de endereçar convites a algumas das ilustres personalidades que aqui são mencionadas, pessoas aliás de reconhecídíssimo mérito no respeitante a estes temas (como, entre outros, o Prof. Fernando Rosas) e abordar este tema. A história da Liga de Paris e os exilados portugueses em França é muito interessante, só tenho pena de não poder assistir ao colóquio. Aquela mescla de socialistas e republicanos, envolvendo nomes como Afonso Costa (tão odiado pelos “novel” monárquicos , para além dos do seu tempo, e pelos saudosos do regime salazarento e Clero de então) e ainda de outros como Cortesão, Sérgio, etc, lá tentou manter a partir de Paris a “sua” resistência à Ditadura, infelizmente sem o sucesso desejado. E gostei de ler a palavra “anti-fascista”. Quem se opôs ao regime do homem de Santa Comba fazia-o tendo consciência do tipo de princípios que ele advogava e no qual se inspirou. Ainda que, hoje, muitos procurem esquecer tal facto, amenizando aquela Ditadura (que, curiosamente, está no Guiness), enaltecendo os méritos da “figura”. O que é caricato hoje é assistir-se a esse tipo de revivalismo ridículo-conservador, como se as “receitas” de então, já de si péssimas, tendo-nos deixado numa situação tacanho-provinciana durante 4 décadas, sem respeito por princípos democráticos, pudessem ser ressuscitadas, para resolver a crise que se vive actualmente.
Voltando ao Post, sinceramente, iniciativas destas são não só muito interessantes, mas revelam coragem.
P.Rufino