segunda-feira, 26 de abril de 2010

Memória

O Mont Valérien é um importante memorial, a dois passos do centro de Paris, onde muitos resistentes franceses foram fuzilados, durante a 2ª guerra mundial. O general De Gaulle decidiu criar aí um espaço de lembrança histórica.

Ontem, o presidente do parlamento português, Jaime Gama, visitou o local, para prestar um tributo de homenagem a quantos sacrificaram a sua vida pela liberdade da Europa. 

Não estou seguro que, nos dias de hoje, muitos dirigentes estrangeiros façam, com frequência, um gesto de simbolismo similar, o que prova que, para uma certa geração portuguesa, as lições da História continuam a estar bem presentes.

3 comentários:

Helena Sacadura Cabral disse...

Jaime Gama pertence não só a uma geração especial como é um respeitável homem e político. Pelo menos para mim!

Nuno Sotto Mayor Ferrao disse...

Caríssimo Embaixador Francisco Seixas da Costa,

sem dúvida que as lições da História são fundamentais, como nos diziam já os historiadores romanos, tanto mais tratando-se de um monumento à memória da liberdade da Europa!

Saudações cordiais, Nuno Sotto Mayor Ferrão
www.cronicasdoprofessorferrao.blogs.sapo.pt

Anónimo disse...

É...
Moralizante, no mínimo.

Em Memória...
Da Saudade.

Desde!...
Que vivas!...

Nas flores
Nas lágrimas contidas
Na glória da Memória
Na liberdade da Saudade

Lugar cativo de Amores
Em pensamentos maiores
Vagueando nos ténues sorrisos
Dos olhares secretos e Amigos

Desde!...
Que vivas!...


Em Memória... Da Saudade.
Em lápides de pura verdade
Em História de vidas tão vividas
Com término de trovoadas desabridas

E no silêncio dos lutos
Irrompam suspiros abruptos
Eco dos teus passos tão justos
De lapidados por diamantes Brutos

Desde
Que vivas
Em Memória
Da Saudade.

Perduras, Leme de liberdade.
Isabel Seixas