quarta-feira, 28 de abril de 2010

Agricultura

Na segunda metade dos anos 90, o ministro português da Agricultura, Gomes da Silva, perante uma manifestação de agricultores que se aproximou do seu Ministério, protestando contra políticas da União Europeia que haviam afetado interesses portugueses, e que a nossa diminuta capacidade de voto na matéria não tinha conseguido suster, teve um ato de frontalidade e grande coragem: desceu à rua e juntou-se aos manifestantes, sublinhando que, também ele, era contra essas medidas.

O gesto foi considerado, pelos manifestantes, como provocatório, inconsequente e até ridículo. Na imprensa, "caiu o Carmo e a Trindade" perante a atitude do ministro, que chegou a ser qualificada como destituída de sentido de Estado.

Ontem, Paris foi invadido por mais de um milhar de tratores, que bloquearam estradas de acesso e várias zonas da cidade, protestando contra as políticas cerealíferas de Bruxelas.

O ministro da Agricultura, Bruno Le Maire, veio a terreiro defender as posições dos agricultores franceses, mostrando-se solidário com este imenso protesto. Não me consta que, até agora, tenham caído a Tour Eiffel ou os Invalides... E, em especial, ninguém nesta imprensa achou incoerente a posição do governante francês, muito embora seja incumensuravelmente maior o poder e a influência da França na máquina comunitária.

Descubram as diferenças.

1 comentário:

Helena Sacadura Cabral disse...

Só o Senhor Embaixador para me fazer rir ao dizer "descubram as diferenças"!
Logo eu que tenho uma enorme azia com o ministro da agricultura do anterior governo...