sábado, 30 de janeiro de 2010

Faits divers


É curioso observar esta inescapável tendência da comunicação social para "agarrar" o insólito, o imprevisto, mesmo que insignificante para a história. Ninguém resiste a esta tentação. 

Há uns anos, numa cerimónia pública a que eu assistia, o presidente Lula deixou cair ao chão um copo de água. Os fotógrafos "flasharam". Recordo-me de ter dito para o chefe de gabinete de Lula, que estava ao meu lado: "Vai ser curioso ver quantos jornais amanhã não trarão esta fotografia...". Sem excepção, todos trouxeram!

Já tenho pensado que um bom trabalho de "marketing" político poderia mesmo planear incidentes inocentes, feitos apenas para a fotografia, por forma a humanizar certas personagens políticas. Algumas estão bem necessitadas disso...

Num terreno idêntico, esta questão faz-me recordar a prática de uma pessoa pública que conheço, a qual, durante as entrevistas que concede, sempre "deixa cair" uma ou duas expressões, procurada e controladamente "chocantes", num tom contrastante com o resto das suas declarações. Para quê? Para tentar que essas frases sejam "chamadas" para títulos da entrevista, evitando que os jornalistas venham a escolher outras. Assim procurando contornar a velha regra de qualquer entrevista jornalística: a nossa pior frase será, quase sempre, o título.

14 comentários:

Anónimo disse...

Vi uma Senhora que se dirigia a uma esplanada, por acaso repleta numa tarde primaveril caírem-lhe as meias de vidro aos pés, daquelas com ligas de renda incorporadas na extremidade da coxa e que colam/descolam com silicone ...

Não denotou qualquer necessidade de assistência,e defendeu-se muito bem.
Vi outras Senhoras com mais aspecto de embaraço, quando a senhora se sentou e se descalçou tirando as supra citadas meias.

Os senhores alguns simularam um discreto estrabismo.

Tinha as pernas bem depiladas...

Quanto às meias... a meia calça é mais segura...

Já os sapatos às vezes a culpa é das calçadas.
Isabel seixas

Nuno Sotto Mayor Ferrao disse...

É verdade no jornalismo sensacionalista interessa se o homem mordeu o cão, e não o inverso!

Sem dúvida que importa humanizar um pouco as figuras públicas. Aliás, aqueles que conseguem ter esse aspecto mais humanizado normalmente gozam de maior carisma. Por exemplo, se espreitarmos a galeria de retratos da 3ª República do Museu da Presidência da República verifica-se situações de representação pictórica mais formais ou mais descontraídas.

Não nos podemos esquecer do máximo especialista nas atitudes e expressões chocantes... o Presidente do Governo Regional da Madeira. Mas a técnica de entrevista que nos apresentou parece interessante e deve desnortear a estratégia do entrevistador.

Saudações cordiais, Nuno Sotto Mayor Ferrão
www.cronicasdoprofessorferrao.blogs.sapo.pt

Julia Macias-Valet disse...

Olha a Hillary armada em Cinderela !!!

Patrick disse...

Nesse aspecto, o Presidente Lula tem sido um mestre. Nos seus discursos, principalmente os de improviso, ele solta uma frase que cairá mal na imprensa e nas classes mais altas (que não lhe são simpáticas), mas que será vista com simpatia pelo povão. Desta forma, usa a antipatia da imprensa a seu favor. Aqui, um exemplo.

Helena Sacadura Cabral disse...

Ó Júlia essa da Hillary armada em Cinderela pôs aqui a família à gargalhada...
Adoro ver a oposição a rir!

Glauciane Carvalho disse...

Isso pode acontecer com qualquer uma. Alias, já aconteceu comigo e a regra de etiqueta diz: "aja naturalmente". Eu acho que deselegância maior é uma autoridade que deveria ser preparada, (é o mínimo que se espera) falar palavrões no intuito de atingir a um discurso popular. Isto sim é uma tremenda gafe e de um mau gosto e baixo tom tremendo. Imagina, os tradutores em uma conferencia falando este discurso no ponto...(como eles vão fazer este tipo de tradução?) Perdoe-me o desabafo, sei que não a intenção de seu blog, este tipo de questionamento “político”, mas foi inevitável...

José Barros disse...

Não será uma inovadora forma diplomática de enviar mensagens, neste caso ao anfitrião, como para dizer-lhe: “vê, como os sapatos de tacão alto podem ser perigosos?”

Gil disse...

Em matéria de embaraços diplomáticos registados por fotógrafos atentos, Lucky Lukes da camera, recordo o gesto instintivo de um Chefe de Protocolo, agarrando-se, na queda, ao colar de pérolas da mulher de um Presidente de um país do então chamado "bloco socialista"; o fio do colar, evidentemente, quebrou-se e as pérolas ricochetearam no colo da Senhora (que o tinha, aliás, vasto) e respingaram sobre os degraus do Palácio de Queluz, acompanhando o infeliz Chefe do Protocolo no seu aparatoso tropeção.
E, em matéria de quedas, aquela de um outro Chefe de Protocolo, imortalizada numa fotografia que regista também uma gargalhada menos caritativa do Rei de Espanha, testemunha da cena, por uma vez perdendo protagonismo em favor do acidentado Embaixador.

Francisco Seixas da Costa disse...

Caro Gil: Há que dizer, em abono do "fair play" desse chefe do protocolo, que ele mantinha na sua sala, bem encaixilhada, a fotografia da sua queda, perante o olhar divertido do rei de Espanha, do presidente português e, especialmente, do sorriso de imensa e quase sádica ironia do cardeal patriarca de Lisboa.

Helena Sacadura Cabral disse...

Senhor Embaixador
Ao referir o "sorriso de imensa e quase sádica ironia do cardeal patriarca de Lisboa", levou-me a reparar, na foto que ilustra o seu post, a inefável quietude do Presidente francês, que não parece ter, sequer, ter feito qualquer menção de apanhar o sapato perdido da senhora Clinton.
Se o fez dpois, não sabemos. Mas aquela fotografia não o regista...

Jose Martins disse...

Senhor Embaixador,
Não conhecia a foto.
Nem a vi publicitada nos jornais. Já lha pifei e inseri num dos meus vocacionado para o humor.
Já assisti a vários acidentes de percurso de caminhar e a culpa fui, sempre, dos saltos altos dos sapatos...

Julia Macias-Valet disse...

Cara Helena, agora deixou-me baralhada, qual oposiçao ?
Responda ao quizz por favor :
1 - MP
2 - PP
3 - PS francês
4 - Republicanos americanos
5 - Anastacia e Drizela
6 - Nao sei/nao respondo ; ))

Helena Sacadura Cabral disse...

Ó Julia tinha-me perdido do último post. A unica oposição que eu vejoa rir são os meus infantes MP e PP. Porque riem? De mim e das coisas marotas que eu descubro para me meter com eles.
Aliás, estimo bastante o Eng. Socrates, entre outras coisas, porque me permitiu ter, pela primeira vez, os meus filhos do mesmo lado...
Mas na sua lista, Júlia, também posso acrescentar o PS nacional, que no seu seio, sabemos, guarda algumas formas de oposição! E das quais, aliás há, igualmente, representantes aqui em casa.
Digamos que, neste clã, somos bastante representativos do país!
:))

Julia Macias-Valet disse...

Obrigada Helena SC.
Claro com a àgua... ; ))
Um bom fim-de-semana para si.