quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

Europa

O Tratado de Lisboa foi o pretexto, mas Hubert Védrine foi muito para além disso na excelente conferência que, ontem ao final da tarde, fez no centro cultural Gulbenkian, aqui em Paris.

Apresentado por Teresa Gouveia, que deu uma bela lição de como se deve fazer a introdução de um conferencista, o antigo MNE francês terá surpreendido pela franca lucidez do seu raciocínio, na abordagem da situação internacional, em geral, e da Europa, em particular.

Hubert Védrine atacou alguns mitos fundacionais da unidade europeia, revelou alguns dos logros em que o pensamento dominante no continente se deixou enredar por décadas e foi de um realismo muito frio quanto às possibilidades da Europa se afirmar como potência no cenário mundial. Por isso, e uma vez mais, volto a recomendar o seu mais recente livro, de que já falei aqui.

2 comentários:

Helena Oneto disse...

E um grande privilégio ouvir Hubert Védrine falar da sua visão do mundo em que vivemos. Ele fa-lo de forma magistral numa linguagem acessivel e recheada de humor!
O que Hubert Védrine disse de Barack Obama e do seu empenhamento a levar a termo as reformas que prometeu conforta e reforça a opinião que tenho do presidente americano.
As 442 paginas do "Le temps des chimères" lêm-se com muito prazer e aprende-se muito!

Helena Oneto disse...

Para os que não puderam assistir à conferencia dada por Hubert Védrine no passado dia 26 de Janeiro, a Fundação Gulbenkian, na "newsletter@gulbenkian-paris-org" datada de hoje, oferece-nos a integralidade da introdução (feita pela Dr. Teresa Patricio Gouveia) e da intervenção de Hubert Védrine aqui : http://www.gulbenkian-paris.org/france/programme/index.htm
Excelente e louvavel iniciativa da Fundação Calouste Gulbenkian!