domingo, 20 de dezembro de 2009

Três cantos


Só foram organizados escassos espectáculos, em Outubro e Novembro, mas o encontro musical de José Mário Branco, Sérgio Godinho e Fausto, a que não tive a sorte de poder assistir, terá sido um dos acontecimentos musicais do ano, em Portugal.

Aí está agora o "Três Cantos", um belo disco para oferecer nestas festas.

5 comentários:

Anónimo disse...

Que raio de mal fez este excelente blog ao mundo para ter sido atingido em alguns postes anteriores por um virus de poesia pimba da pior qualidade ? O Senhor Embaixador tem (julgo eu) o poder de impedir isso ou pelo menos de varrer essa versalhada de terceira classe. E ainda se queixava do Augusto Gil ! Por este andar ainda chegamos ao Quim Barreiros

IM

José Barros disse...

Pelo menos em música, a rapaziada da nossa geração teve uma sorte extraordinária! O Mário Branco, o Godinho e o Fausto, cada um à sua maneira e com distinção, souberam criar ao longo destas últimas décadas as canções que falavam do presente e perspectivavam futuros... Ainda em Paris e antes de Abril o Mário Branco dizia que a “Cantiga é uma Arma” e criou então uma grande emoção quando a apresentou pela primeira vez em público, em 1973, na “Cartoucherie” de Vincennes; O Sérgio Godinho, com palavras simples, “A Vida é Feita de Pequenos Nadas” ou “Hoje é o Primeiro dia do Resto da Minha Vida” transporta-nos para altas reflexões existencialistas e o Fausto, décadas antes das catástrofes a repetição como a que conhecemos com o “Prestige” que largou em 2002, na costa galega, vários milhares de toneladas de petróleo já alertava com a sua “Rosalinda se tu fores à praia, se tu fores ver o mar, cuidado não te descaia, o teu pé de catraia, em óleo sujo à beira mar” porque “a branca areia de ontem está cheiinha de alcatrão...”
A nossa pouca sorte é não podermos acompanhar ao vivo o que eles cantam com a mesma força e verticalidade de sempre...

Anónimo disse...

Caro IM
É com muito gosto
Que constato
A sua predilecção
Pela Minha Poesia

Pimba... que honra...

Vou dedicar-lhe
Este verso Branco
Pela intensidade
Com que me brindou

Pimba para mim é gosto popular...
Por quem Nutro um Respeito Incondicional...

O Quim Barreiros
Leva a alegria indiscriminada
Desde o País Snob, rico ou pobre

Reforço o meu agradecimento pela sua deferência...
Obviamente sei que vai continuar a ler-me... Nem adianta dizer-lhe
Que não perca tempo...

Pois a sua Mensagem
Interessante do meu ponto de vista
É reveladora da Sua ...
Boas festas ...Para Si IM

Com a minha vontade de escrever
Já só me importa...
Que falem...

Ah!Versalhada de terceira classe é o seu melhor?
E por ordem Crescente ou Decrescente...
Uma Pseudopoeta Pimba ao seu dispor
Isabel Seixas

Julia Macias-Valet disse...

Caro José Barros, ja dizia Juan Ramon Jimenez que "El poeta no es un filosofo, sino un clarividente".

Correia de Araújo disse...

Pois é! Eu até gosto, e muito, destes três (outrora chamados cantores de intervenção).
Vá-se lá saber porquê? Sim, eu!... um homem de centro-direita!