terça-feira, 8 de dezembro de 2009

Brasil - um ano depois


Dia por dia, faz hoje precisamente um ano que deixei o Brasil.

Como memória desse tempo, fica o texto que então publiquei, na introdução ao meu livro "Tanto Mar? - Portugal, o Brasil e a Europa", e que pode ser lido aqui.

7 comentários:

Patrick disse...

Belíssima Ouro Preto.

Fernando Pinto disse...

O Brasil é um país ainda por descobrir...

Abraço

P. S. Deixo-lhe o meu e-mail no caso de pretender mais informações sobre a Clara d'Ovar. Tenho a morada de seu irmão Zéni, que morou em Paris e agora está por Ovar.

Anónimo disse...

Tanto Mar

Revolto
Ideias a clamar
Absorto
Caminho a navegar
Introito
De um novo ondular
Afoito
Na acção de aglutinar
Arcaboiço
Mentes velas de velejar
Pernoito
Sem medo de nadar a divagar
Baloiço
Num turbilhão... nu de almejar
Isabel Seixas

Anónimo disse...

Depois de quinhentos anos de ranço entre colonizador e colonizado, abre-se espaço para o amadurecimento e compreensão. As pixações e anedotas sempre vão existir por falta de algo melhor para se dizer ou fazer na vida.
Gostei do texto. Bem dito.
Dora Lúcia

Anónimo disse...

Engraçado, ao ler este texto, um certo gosto a maresia me entrou na boca... e entrou via Açores, donde parti há quarenta anos e p'ra onde estou voltando.

Os nossos parentes da América foram os filhos dos nossos parentes no Brasil. Tantas cantigas brasileiras me embalavam em criança... Ai, aqueles "chorinhos"...

Agora, os tempos já não são, nem vão de barco!!! A lentidão desse Tempo sublimou-se em voragem do Tempo hodierno. Já não se diz: "Adeus, até p'ró ano se Deus quiser"; agora diz-se: "até já"!

Nós, portugueses e brasileiros não pretendemos ser iguais. Pretendemos apenas ser parentes. Já lá estivemos e agora vêm eles, neste vai-vem cíclico dum moto-contínuo que faz girar este nosso pequenino mundo. Não tenhamos vaidades balofas. Este nosso mundo é mesmo pequenino, mas cada Homem é um mundo imenso. Saibamos respeitá-lo e perceber a verdadeira dimensão das coisas: nem de menos, nem demais, q.b.

Mar de Bem disse...

Peço desculpa, o meu comentário atrás surgiu anónimo. Foi inépcia da minha parte.

Anónimo disse...

Marilia deixou um novo comentário na sua mensagem "Tanto mar?":

Gostei muito do texto. Além da tolerância, da nao-segregação (que espero que continue como um dos principais e mais admir'veis traços da nossa cultura)e do idioma, outra heranca valiosa é a integridade territorial. O Brasil é imenso, tao diverso, tao variado e, no entanto, somos a mesma naçao, o mesmo povo com o mesmo idioma. Isso nao tem preço! (E poderia ser segmentado como a parte espanhola).