sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Língua portuguesa

O presidente Lula falou há pouco no período do "achismo" que actualmente se vive, na procura de um responsável pelo corte de energia eléctrica que o Brasil sofreu.

O cineasta Fernando Lopes, na "Visão" desta semana, entende que a amizade entre as mulheres, ao trocarem histórias pessoais entre si, é um tanto "açordeira".

Devo confessar que adoro este tipo de expressões. Elas são a prova de que a língua portuguesa está bem viva e criativa.

6 comentários:

Helena Sacadura Cabral disse...

Estou consigo Senhor Embaixador. Por isso é que gosto tanto de Mia Couto e Agualusa. Eles reinventam a língua dando-lhe uma frescura enorme que só nos aproxima dos outros que falam português de modo diferente. E é pena que não conheçamos melhor os escritores de Cabo Verde.

Alcipe disse...

As palavras são feíssimas (sobretudo a "açordeira"), mas alguma criatividade existe, é verdade...

Cara Helena Sacadura Cabral, recomendo-lhe o romancista cabo verdiano Germano de Almeida. Divertidíssimo...

Anónimo disse...

Helena Sacadura Cabral deixou aqui uma óptima reflexão, que compartilho plenamente !
E já gora, deixo um modesto convite ao Sr Embaixador e aos seus fieis leitores – dos quais faço parte desde há umas semanas.

PC

Patrick Caseiro (aka Pat Kay) – lançamento do livro « …e realidade »


Aí está mais uma sessão de apresentação do livro pelo autor, acompanhado pelo cúmplice Miguel Torres-Perez (ambientes sonoros e projecções).

No sábado dia 21 de novembro no « Sur un R de Flora », para quem estiver de passagem pela “cidade-luz”.

Jose Martins disse...

Não sei aonde se situa o feio “açordeira”...
-
Segundo o Dicionário Etimológico da Língua Portuguesa, pag. 80, Gil Vicente, em 1528, “Farsa dos Almocreves”, na Capilagem:
-
«Tendes essa voz tão gorda. Que parece alifante. Depois de farto de açordar»
.
No meu caso, de pobre escrevinhador, adoro o português arcaico e quando tenho a oportunidade, meto na minha prosa, aquelas palavras tão ricas que ouvi quando criança ao meu avô Joaquim Gomes, entre a penedia, da Serra da Estrela.
José Martins

Anónimo disse...

Interessante comentário este do Sr. José Martins.
P.Rufino

Anónimo disse...

Sempre achei a linguagem, léxico popular, de uma riqueza...
ontem precisamente numa sala de espera aprendi com um senhor de oitenta e dois anos mais dois significados de bengala, o sr. pediu-me para lhe chegar o chuço(guarda-chuva)que estava a fazer as vezes da camola ou gancha para lhe servir de bengala como me clarificou depois de lhe ter parguntado. Obviamente que registei...
Isabel Seixas