segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Fresnes

Visitar uma prisão não é necessariamente uma experiência simpática. Mas pode ser muito útil quando pretendemos estabelecer as melhores formas de articular os nossos serviços em França com a rede penitenciária que acolhe as cerca de cinco centenas de detidos de nacionalidade portuguesa, hoje distribuídos por 116 diferentes estabelecimentos prisionais neste país.

Visitei hoje a prisão de Fresnes, um imóvel do início do século XX, em condições muito satisfatórias, onde estão apenas 35 desses detidos, a quem, como aos restantes, vamos procurar tentar assegurar um Natal mais confortável. Para tal contamos nesta prisão com a ajuda de uma religiosa portuguesa, a Irmã Elisa - este ano distinguida com o Prémio Talento -, que desempenha um trabalho notável junto da população prisional que tem nacionalidade portuguesa.

9 comentários:

Helena Sacadura Cabral disse...

Porque já não me espanta nada que o nosso Embaixador em França faz?!
Bem haja por se lembrar daqueles a quem a sociedade, por vezes, tanto esquece!

Helena Oneto disse...

Faço também minhas as palavras da Sr. Dra Helena Sacadura Cabral.

O Senhor tem-me dado multiplos motivos de ter orgulho de ser portuguesa.
Bem haja.

Anónimo disse...

Penso que a irmã Elisa é de Casal Mendo - Carregal do Sal, distrito de Viseu. Boa pessoa, boas acções. Muito bem falar nela!

Francisco Cunha Ribeiro disse...

Lá estou eu outra vez, a fazer de intruso, Sr Embaixador.
Mas falou de uma prisão e eu lembrei-me de UMA OUTRA, onde esteve preso BERNARD TAPIE.
Talvez o Sr Embaixador a conheça.
Claro que visitar uma prisão é um motivo de orgulho para qualquer um. Mas não é coisa que se faça com frequência. Todavia,é um gesto que merece toda a adiração de quem nunca entrou em nenhuma, como é o meu caso.
Mas se um dia o Sr Embaixador visitar , ou passar, junto da dita prisão, ali bem próximo de Port Royal e da Rue de La Santé, peço-lhe o favor de visitar a minha irmã que trabalha em França há mais de quarenta anos...
E pode ter a certeza que sairá da sua casinha de " consierge" como se saísse do RASPOUTINE ou MELHOR: A minha irmão é uma cozinheira fantástica e recebe bem, mesmo muito bem...
Aqui fica o atrevimento de um convite, que a ser aceite, seria uma grande alegria para um casal simples, bom, e fantástico: O Zé ( meu amável cunhado, e a Deolinda, minha extraordinária irmã.)
Moram no numéro 7, Rue de La Santé.
Peço desculpa, Sr Embaixador, mas " La vie ne l`est pas sans ces audaces".
Cumprimentos,

Francisco Cunha Ribeiro

Anónimo disse...

Também me rendo á Sua Humanização sólida e concreta, essencialmente quando estabelece prioridades que efectivamente são prioridades no reconhecimento de Pessoas que têm aquele protagonismo no Bem...

Congratulo-me desde logo por nos ter dado a conhecer a irmâ Elisa, que Deus lhe dê pelo menos muita saúde para a prossecução de tão louvavel arte de alimentar o ser humano na adversidade.

Não resisto a citar Madre Teresa De Calcutá

" Se as Pessoas te Pesam Porque as carregas nos ombros? Transporta-as no coração".
Isabel Seixas

Anónimo disse...

Porque e que Portugal nao tem Embaixadores como Vossa Excelencia por este mundo fora?E pena a imagem triste que muitos transmitem de Portugal.A Vossa Excelencia os meus melhores votos de sucesso !

Julia Macias-Valet disse...

Ainda bem que ha pessoas como a Irma Elisa que conseguem manter acesso o Espirito de Natal todo o ano.

Anónimo disse...

É enternecedor e raro ver alguém que desempenha o cargo de Embaixador a preocupar-se de forma tão humana com assuntos que muitas vezes nos escapam... por comodismo, talvez! Leio-o diariamente e diariamente me deslumbro e me orgulho de viver numa terra que Vossa Excelência tanto preza.
Leitor assíduo de Pedras Salgadas

Julia Macias-Valet disse...

No outro dia, quando li este post fiquei a pensar...a Irma Elisa ajuda os presidiarios portugueses; mas quem ajuda a Irma Elisa, a Congregaçao de Nossa Senhora da Caridade e a Comunidade Portuguesa em situaçao precaria ?

Hoje ao fim da manha tive a agradavél surpresa ao ouvir a Radio Alfa, que a esposa do Senhor Embaixador, a Sra. D. Virginia Seixas da Costa respondia a uma entrevista com o objectivo de dar a conhecer uma campanha de angariaçao de alimentos nao pereciveis que permitirao a portugueses em dificuldade de passar um melhor Natal.

Creio que esse Campanha decorrera de dia 30/11 a 04/12 e os alimentos poderao ser depositados na Radio Alfa (nao consegui fixar os horarios).

Como também nao pude ouvir a entrevista na integra dado que conduzia os meus filhos às actividades no meio de um trânsito caotico de uma quarta-feira com chuva. Nao sei se havera outras iniciativas deste género ou noutros locais.

Entao, caso me permita, Senhor Embaixador, que tal fazer um post no seu blogue para dar a conhecer esta iniciativa ?

Quem sabe se algum "tio na América" lê o "Duas ou três coisas" !?