domingo, 30 de agosto de 2009

Deolinda

Viver fora do país tem este preço: só há pouco tempo, por indicação de amigos, comprei o disco "Canção ao Lado", dos Deolinda.

Tenho de revelar que há muito que um primeiro disco de um grupo português não me impressionava tanto. Trata-se de um conjunto variado de temas, com grande força e consistência, que traduzem umas expressiva maturidade musical, produto, ao que parece, das origens dos membros do grupo. A sonoridade é muito moderna, ao mesmo tempo que bastante popular, sem cair no "popularucho". Aqui e ali, tem mesmi um toque de certa sofisticação, patente nas letras e nalguma sua ironia. A combinação de intrumentos tradicionais com uma voz magnífica da vocalista é algo de muito diferente do que estamos habituados a ouvir. Já escutou fado sem guitarra portuguesa? Pois, com os "Deolinda", tem isso. E que fados!

Não sei se este blogue pode fazer propaganda (ou publicidade, como uma leitora preciosista me aconselha a escrever), mas eu arrisco: comprem o disco dos "Deolinda" e não se arrependerão. E fiquem, desde já, com este som ou visitem o seu excelente site.

8 comentários:

Anónimo disse...

Comprei este álbum e adoro-o! Aconselho-o a todos os meus amigos. Gostava de os ver ao vivo mas por 3 vezes andaram aqui perto de mim e perdi-os...

Helena Sacadura Cabral disse...

Já o ofereci a três amigos. É, de facto,muito bom!

Alcipe disse...

Fico satisfeito por partilhares o meu gosto pelos Deolinda... Temos sempre gostos em comum, nós os dos idos de 75...

Francisco Seixas da Costa disse...

Peço desculpa em não concordar com o Alcipe: os "idos" são de Março, nós somosos "vindos" de Abril...

Alcipe disse...

Somos filhos da madrugada, mas cada vez temos sono mais cedo...

Anónimo disse...

Senhor Embaixador, apenas uma pequena correcçao se me permite :
Acho que tem todo o direito de fazer PUBLICIDADE aos "Deolinda" mas nao propaganda ao grupo. A PROPAGANDA é a difusao de idéias e imagens politicas ou religiosas. Nos ultimos anos houve mesmo uma profissao em Portugal que corrigiu a sua designaçao : Delegado/a de propaganda médica chama-se hoje Delegado de informaçao médica.

Boas férias.
Julia Macias-Valet

Anónimo disse...

Nao pretendi de forma alguma ser uma Catherine de Vivonne. Longe de mim. Mas alguns anos "a fazer reclames" (como dizia o meu avô) deixaram marcas.

Quanto aos "Deolinda": Gostei e deixaram-me a nostalgia da Linha... de Sintra ?

Julia Macias-Valet

Alcipe disse...

Bem me parecia que eras o Goebbels dos Deolinda... Bravo, Julia!