terça-feira, 25 de agosto de 2009

"De Rodríguez"

Aposto em como a maioria dos leitores não faz ideia do significado do termo espanhol "estar de Rodríguez". Trata-se de uma expressão que terá passado a ser usada nos anos 60, em Madrid, para designar a situação dos maridos que ficavam sozinhos na capital, durante o mês de férias da família, a qual ia para a praia ou para o campo. Nunca consegui saber quem foi o Rodríguez que deu origem à expressão, mas até seria interessante conhecer as razões pelas quais ficou famoso...

Paris, neste mês de Agosto, é a cidade ideal para "estar de Rodríguez", como é o meu caso. O trânsito é mais escasso, há zonas da cidade quase vazias, consegue-se estacionar em lugares normalmente inimagináveis, o essencial da cidade está a funcionar e nem as "hordas" de turistas prejudicam quem quer usufruir calmamente da vida da capital francesa, nas horas depois do trabalho.

Nos próximos anos - já decidi! - vou seguramente continuar a ficar "de Rodríguez" neste "Paris au mois d'août", aliás motivo de uma bela canção de Aznavour que recordo aqui.

Em tempo: e não há uma alma etimologicamente culta que nos descubra quem foi esse famoso Rodríguez?

5 comentários:

Fábio Ferreira Durço disse...

Estou de Rodriguez em Brasília! Já decidi também; essa será a última vez, pelo menos aqui.

Santiago Macias disse...

Não é muito comum um português conhecer esta expressão. O senhor embaixador é o primeiro, fora do domínio familiar, a quem a ouço. Já tentei explicar o prazer desses breves momentos/dias de solidão ao género feminino. Que continua a achar o "De Rodriguez" um sinónimo de desarrumação masculina. Vá lá saber-se porquê...

Anónimo disse...

Pois gostei imenso de conhecer a expressão e o que ela implica.
De facto consciencializar a vantagem, poderá vir a ser também uma boa medida terapêutica a adoptar para prevenir o burnout(sindrome de exaustão emocional) conjugal/familiar e todos fazerem férias de todos,
"obviamente só nos casos em que haja necessidade".
Isabel Seixas

Helena Sacadura Cabral disse...

Senhor Embaixador, deixe-me ser criativa.
Um dia Jose Martinez não poude acompanhar a Família na ida para férias. Tinha muito trabalho para acabar.
Só que um dos filhos adoeceu e a dita teve de retornar à capital onde a esperava a "surpresa". É que José havia trabalhado tanto que resolveu descansar no fim de semana e ir ter com... os seus. Ao triste desencontro passou, então, a chamar-se " de Rodriguez".
Confessem os leitores do "nosso Embaixador" que estavam à espera doutro fim.
Mas eu sou uma guionista imprevisível! E assim é mais moral. Embora menos capitoso!

Anónimo disse...

Sempre ouvi a explicação que o Rodriguez se referia ao "pseudónimo" comum em que eram feitas as reservas nos restaurantes e qiaçás mais ainda hoteis. Mais interessante era o senhor que esperava todo o ano ansiosamente por Agosto em que ficava de Rodriguez y Rodriguez - tanto a mulher como a amante iam a banhos...
Abraço
F. Rodrigues