terça-feira, 23 de junho de 2009

Remodelação

A cena teve qualquer coisa de queirosiano. O último convidado a chegar, num jantar na noite de ontem em casa de amigos franceses, trouxe a lista, acabada de divulgar, da remodelação ministerial. O ambiente era algo diverso, com empresários, figuras da administração e alguns diplomatas. Todos se inclinaram com avidez sobre as notas do recém-chegado, com comentários sonoros apreciativos por parte dos franceses presentes. As senhoras, muito curiosamente, eram as mais "soltas", com os maridos, por dever institucional, a revelarem-se mais prudentes.

As deixas foram as imagináveis: "Então fulano subiu? Não era de esperar...". "Espanta-me que sicrano tenha sido reconduzido". "O que significará a mudança de beltrano?". "X acabou por ter o lugar que queria". Ou, mais honestos: "Não gosto nada de Y" ou "preferia que Z tivesse entrado".

À saída do jantar, já num ambiente de cumplicidade corporativa, sem franceses à escuta, os diplomatas abriam-se um pouco mais opinativamente entre si e avaliavam as escolhas, mentalmente preparando os telegramas com que, amanhã, irão dar a sua opinião às respectivas capitais sobre o como e o porquê do que aconteceu. Como o autor deste texto, claro.

4 comentários:

Anónimo disse...

A imprensa exacerbou a chegada ao governo de Frédéric Mitterrand apresentando-o como um homem de esquerda e como uma forma de divisao no seio do PS. Ora Frédéric Mitterrand jà hà muito tempo se tinha aproximado da direita pronunciando-se mesmo, nas duas ultimas eleiçoes presidenciais, primeiro a favor de Chirac e depois a favor de Sarkozy... Os nomes às vezes sao como os hàbitos e nao é o hàbito que faz o monge!
E mesmo que no governo houvesse Ministros de esquerda, nunca governo de França teve Ministros tao solidàrios com a politica do Presidente como este... Pudera!
José Barros.

Helena Sacadura Cabral disse...

Diz-se, Senhor Embaixador, que Frederic Mitterand, animador de TV e sobrinho do falecido homem forte da França, poderá vir a ser Ministro da Cultura.
Para quem se espante é bom lembrar que o actual Presidente foi ministro de François Mitterand num governo de cohabitação liderado por Baladur

maloud disse...

E já agora, porque é que uma das senhoras foi tratar do OM? Mais empolgante que os Direitos Humanos?

Bento Freire disse...

Frederic Mitterrand jamais foi de esquerda, mesmo antes de apelar publicamente ao voto na direita.
Já agora, o facto de Sarkozy ter sido Ministro num governo Balladur durante a presidência Mitterrand - facto lembrado por F. Mitterrand ele próprio, não é paralelo ao que agora se passa.
Se, por hipótese embora pouco provável, o PS ganhasse as próximas eleições e, imaginemos, Mmme. Royale convidasse um comunista para o seu guverno, dizer que este teria sido ministro de Sarkozy era, ao menos, forçar a interpretação...