terça-feira, 26 de maio de 2009

Simone

Simone Veil é uma das personalidades cujo percurso talvez melhor traduza o destino da Europa contemporânea. Sobrevivente à barbárie nazi que a levou para um campo de concentração, foi a ministra da Saúde que abriu as portas da França à modernidade da lei do aborto, tendo-se tornado na primeira mulher eleita para presidir ao Parlamento Europeu. É uma figura serena, quase discreta, com um olhar vivo e atento, onde o leve sorriso não apaga por completo alguma melancolia que a História lhe pode ter tornado inevitável.

Ontem, aqui em Paris, juntou-se ao prémio Nobel da Economia Amartya Sen e a outras figuras cimeiras da vida académica mundial graças ao convite da Fundação António Champalimaud, dirigida por Leonor Beleza, uma bela instituição que nos traz um Portugal mais solidário e voltado para o mundo.

3 comentários:

Azul disse...

Simone Veil é uma das minhas muitas referências de humanidade, de serenidade, de coragem e, sobretudo, de discurso audível pelos direitos de todos, particularmente das mulheres! Fico muito contente com a notícia que aqui leio. Bem haja. Obrigada.

Cumprimentos. Até breve. Azul.

Anónimo disse...

Uma grande Senhora, uma grande Mulher.
P.Rufino

Helena Sacadura Cabral disse...

Faço minhas as palavras de Azul. Pudera a Europa contar com mais um punhado de gente do calibre de Simone e talvez eu acreditasse mais...
E mais não digo porque escrevo no blog de alguem que me habituei a respeitar.