terça-feira, 26 de maio de 2009

À Espera de Godinho

"Três portugueses e um belga de origem portuguesa, nascidos nos anos 40 do século XX e cujos caminhos se cruzam em Bruxelas, reúnem-se em quatro jantares à espera de um quinto conviva que se faz rogado" - é assim que um livro de conversas de memórias se apresenta, com o "beckettiano" título de "À espera de Godinho", editado pela Bizâncio.

O livro foi-me enviado por um dos autores conversantes, o Amadeu Lopes Sabino - aliás, para quem não saiba e na minha opinião, uma das melhores escritas em língua portuguesa surgida nas últimas décadas. Nele se espelham-se os vários percursos pessoais, diferentes mas idênticos aos de muitos que andaram por esses tempos de Bruxelas, de Paris ou Londres, feitos de exílio ou de recusa da guerra colonial, com a Europa a servir-lhes hoje de sereno traço comum de vida.

Como ilustração, deixo a lembrança de um curto e curioso poema de Pessoa, chamado ao livro:

"António de Oliveira SalazarTrês nomes em sequência regular...António é AntónioOliveira é uma árvoreSalazar é só apelido.O que não faz sentido
É o sentido que tudo isso tem".

Sem comentários: