domingo, 15 de março de 2009

Hardy

Quando surgiu, e para a minha geração, Françoise Hardy representava um modelo muito particular na música francesa, ao tempo marcada por ritmos bastante mais vibrantes e sonoros. Aquela imagem "modiglianica", de cabelos longos, a tocar viola e a cantar, em tom sereno, coisas algo inocentes, dizia bem com a nostalgia de alguma juventude portuguesa dos final dos anos 60. Quem, à época, não terá ficado marcado pelo "Je suis d'accord" ou o "Ton meilleur ami"? Quase que pode dizer-se que Carla Bruni segue hoje muito do seu antigo registo musical.

Perdi-a de vista, por muito tempo. Às vezes ouvia uma sua nova canção, mas, confesso, o estilo deixou de me despertar curiosidade. Ou melhor, só fiquei mais atento quando um dia constou que teria apoiado ideias racistas de Jean-Marie Le Pen, o líder de extrema-direita francesa. Posteriormente, ouvi-a recuar dessa atitude, num discurso um tanto embrulhado, de quem terá sempre grande vantagem em não andar muito pela política.

Li, há dias, as suas memórias, "Le désespoir des singes et autres bagatelles". Um livro bem escrito e bem articulado, que dá mostras de que percebeu a vida.

E ontem lá esteve, no Salon du Livre, a dar autógrafos. Não a vi, mas dizem-me que está como a foto acima a mostra, com o mesmo ar sereno, com os cabelos brancos. Acontece a muitos...

5 comentários:

Alcipe disse...

Também amei a Françoise Hardy, na minha adolescência em Chaves; também comprei todos os discos dela. Por isso me desiludiu muito (ao contrário de ti) a leitura das memórias... Só mostra quem de nós dois é o mais romântico!

Francisco Seixas da Costa disse...

Pois é, há gente exigente e há outra - como será o meu caso - bem menos!

Quase me apetecia dizer "Hardi camarades!"

Anónimo disse...

Imperdoável o esquecimento de "Tous Les Garçons Et Les Filles", a sua canção mais emblemática! Mas estou de acordo, "J'Suis D'Accord" é de uma ingenuidade comovente.

LPA

Francisco Seixas da Costa disse...

A referência e o link para o "Tous les garçons et les filles" já haviam sido feitos aqui:

http://duas-ou-tres.blogspot.com/2009/02/ye-ye.html

Helena Sacadura Cabral disse...

Françoise atravessou a sua mas também atravessou a minha geração. Quanto à foto, que me perdoem os homens...prefiro esta, mais moldada pela vida e com cabelos brancos curtos. Inveja minha que tenho muitissimo poucos para a idade e tanto gostava de os ter!
Se cabelo branco for mesmo saudade, prefiro estar como estou, porque de passadista tenho pouco.
Mas o estilo Bernard Cohen continua a interessar-me muito e Hardy tinha algo que ver com ele.