terça-feira, 24 de março de 2009

24 de Março

Esta fotografia data de 1962 e representa a grande movimentação académica que então abalou a Universidade de Lisboa, em torno das comemorações do "Dia do Estudante", o dia 24 de Março.

Entre as figuras sentadas está Jorge Sampaio. Este foi, para muitos, o momento de ruptura com um certo país oficial e, para alguns dentre esses, o início de um caminho que os levou ao exílio, de que a França era habitualmente o primeiro porto de abrigo.

10 comentários:

Anónimo disse...

Permita-me uma pequena correcção: não era o Dia INTERNACIONAL do Estudante; era apenas "Dia do Estudante", comemorado em Portugal, lembrando uma jornada de luta da Academia de Coimbra que passou à História como a"Tomada da Bastilha".

Jose Martins disse...

Dei por ele mesmo apesar de a imagem estar escura.

Valeu-lhe a pena...

Ainda hoje, mesmo reformado, deambula pelos "meandros" politiqueiros.

Se fez ou não fez alguma coisa, por Portugal, não me pronuncio.

Foi andando por aí!

Francisco Seixas da Costa disse...

Como é óbvio, estou em total e completo desacordo com José Martins. Mas cada um tem direito à sua opinião, para mais quando a assume com o seu nome.

Anónimo disse...

Também nunca me arrependi nem por um momento de lhe ter "dado" o meu voto.
Continua a Ser para mim uma referência de Saberes com sustentabilidade que felizmente facultou ao País com a sua natural e indivisivel consensualidade.
Isabel Seixas

José Martins disse...

Senhor Embaixador,
Todos nós andamos por aí, uns com mais evidência e outros conforme Deus e eles sabem.

Melhor do que eu o Senhor Embaixador sabe se estivermos todos encostados, caíamos para o mesmo lado, e difícil nos levantarmos.

É o paladar da democracia que nos dá a oportunidades de escolher e revelar o nosso gosto pela cores: o branco e o preto.
Seu admirador
José Martins

aminhapele disse...

Gostei.
Nessa data,passei o meu primeiro "dia do estudante" em Coimbra.
Conservo boas recordações e bons amigos.
Creio que foi mesmo a grande alavanca para 69 e 74.

Anónimo disse...

Reconheço também na tribuna Afonso de Barros, António Arez, Victor Wengorovius,André Machado Jorge, Abílio Teixeira Mendes, José Felismino, António Dias.
Jorge Sampaio presidia (sempre teve tendência) ao Plenário, na qualidade de Secretário-Geral da R.I.A. (Reunião Inter-Associações).
Se estou bem lembrado, saíu-se do Estádio Universitário em direcção ao Restaurante Castanheiro, onde o Reitor (Marcello Caetano) oferecia um almoço.
Antes de aí chegarem, os estudantes foram dispersos por uma carga da Polícia de Choque.

Francisco Seixas da Costa disse...

O restaurante onde teve lugar o repasto chamava-se "Castanheira de Moura". Este é um terreno sério, em que convém sermos rigorosos...

Anónimo disse...

Onde exactamente ficava esse restaurante Castanheira de Moura? Ainda existe?

Anónimo disse...

Já não existe. Ficava na Estrada da Torre, do lado esquerdo para quem sai da Alameda das Linhas de Torres.

Francisco Seixas da Costa