quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

Clube católico


Há dias, num encontro com membros de uma Comunidade portuguesa perto de Paris, alguém me perguntava, com o notório embaraço de isso poder ser considerado uma curiosidade excessiva, se o novo embaixador português tinha, em Portugal, uma preferência clubística.

Naturalmente que não dei a triste resposta que ouvi, já lá vão mais de duas décadas, a uma personalidade política portuguesa de renome europeu, a qual, no desejo imparável e tonto de querer parecer consensual, e não obstante muitos conhecerem a sua cor futebolística, avançou, à minha frente, com a seguinte patetice: "o meu único clube é a selecção nacional!".

Eu sou mais directo e, por isso, costumo dizer que sou adepto de um clube essencialmente católico: só ganha quando Deus quiser! E, naturalmente, também perde quando Deus quer. Mas hoje à noite fiquei com algumas dúvidas metafísicas: será que houve, de facto, algum desígnio divino no que nos aconteceu?


(Em tempo: isto de ser-se sportinguista tem a superior vantagem de sabermos lidar muito bem com o infortúnio, com grande e insuperável "aisance". Daí que me apeteça deixar-lhes duas belas anedotas que me chegaram sobre a pouco agradável noite de 4ª feira:

A mulher de Paulo Bento acorda-o, de manhã, e diz-lhe:
- Acorda, Paulo, já são seis!
- O quê? Marcaram mais um?

A segunda anedota é apenas um anúncio: a partir de agora a única publicidade inserida nas camisolas do Sporting será a das lavandarias "5 à sec"!)

9 comentários:

Anónimo disse...

Caro Senhor
pode crer que sim! (cinco "foi demais")
GFaria

Anónimo disse...

Bem, adorei a foto. Eu que sou Leão de signo, de clube e provavelmente de outras coisas, acho a expressão deste Leão de uma sensualidade... Concordo com o desígnio divino da resiliência, promotora do Fair Play?
Quanto aos cinco... Irrelevante.
Isabel Seixas

José Martins disse...

É muito difícil para um embaixador identificar-se perante um português a viver na "estranja" o seu amor clubista.

Se soubesse a que clube torcia o seu perguntador, lhe respondia de forma que lhe agradasse.

Com isto usar a filosofia do "ferrador": "uma no cravo outra na ferradura".

Mas encontrar um embaixador com amor clubista doentio é o mesmo que achar agulha num palheiro!

Os meus seis embaixadores que já servi, em Banguecoque, nenhum gostava da "bola".

Em 1996 o F.C. do Porto veio a Banguecoque para participar num torneio (que viria a vencer) entre o Boca Júniors, o Inter de Milão e a selecção da Tailândia.

Embaixador Mesquita de Brito encarregou-me de ir receber a delegação tripeira ao aeroporto.

Aquilo ia dando uma carga de trabalhos diplomáticos...

É que (substituia Pinto da Costa o Reinaldo Teles) o não estar o embaixador de Portugal no aeroporto foi considerado uma ofensa!

Porém lá se deitou água na fervura com a habitual, fictícia, reunião de sexa o embaixador.

Mas desde logo me salta à vista (pela foto inserida nesta peça) que o embaixador Seixas da Costa é do Sporting Club de Portugal e assenta-lhe que nem uma luva de veludo esses sentimentos.
De Banguecoque
José Martins

CC disse...

Graças a Deus,ou não,mas com muita tranquilidade...
CC

CC disse...

Graças a Deus,ou não,mas com muita tranquilidade...!
CC

Rui M Santos disse...

Caro Francisco
Não sei se se tratou de algum desígnio divino, ou não, mas pode bem ter sido um "castigozito" por terem ganho ao Glorioso ( com toda a justiça, acrescente-se )....
Para o ano há mais....
Abração

Anónimo disse...

Eu, por acaso, até sou também desse mesmo clube! Mas mais por tradição de familia que por convicção. Mas este leão faz-me completamente lionina!!!!

Margarida disse...

A foto é linda!!!!!
Que fofura...
(...hã? - sobre futebol? ai isto é sobre futebol?!, ah..., não, sobre isso nada a dizer...; sobre bichinhos sim!)

Helena Sacadura Cabral disse...

Eu que sou do Sporting ainda não me recompuz... É que cinco golos é demais!