domingo, 22 de fevereiro de 2009

José Megre (1942-2009)

As linhas negras no mapa acima reproduzido, cuja versão maior pode ser vista aqui, representam as viagens feitas através do mundo por José Megre, o engenheiro português que, com 66 anos, ontem morreu. Megre era a verdadeira personificação do conceito de "globetrotter", tendo visitado, quase sempre ao volante de viaturas, 193 dos 194 países do mundo.

Era um homem portador de um sorriso de grande simpatia, que transmitia um ar de serenidade que, com o tempo, se foi tornando quase patriarcal. A RTP trouxe-o aos portugueses, há muitos anos, a falar de motores e de automóveis, numa linguagem para leigos, aproveitando a sua formação técnica. Vimo-lo também muito no mundo dos ralis e do "todo-o-terreno", em especial no tempo em que o Paris-Dakar ainda merecia esse nome.

De todos os Estados que compõem este mundo, José Megre apenas não visitou o Iraque, porque nunca conseguiu autorização para entrar no país. Por ironia, o Iraque é talvez um dos países do mundo onde mais gente entrou sem ser autorizada.

3 comentários:

num relance disse...

lembro-me de ver o José Megre nos programas da RTP, uma delícia

Margarida disse...

Tenho ideia dele, sobretudo ainda na televisão a preto e branco.
E que bonita menção: "(...)um homem portador de um sorriso de grande simpatia, que transmitia um ar de serenidade que, com o tempo, se foi tornando quase patriarcal(...)"
Jovem demais para partir, mas na verdade ninguém disse que havia lógica ou justiça nas perdas...

Anónimo disse...

Ainda a propósito de José Megre, sobre quem Francisco Seixas da Costa escreveu umas singelas palavras outro dia, em sua memória, aqui fica este pequeno registo, para quem quiser saber mais sobre JM: a revista AutoSport, saída hoje, 3/2/09, traz um extenso artigo sobre ele, em sua homenagem, que vale a pena ler.
P.Rufino