quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

António Maria Pereira

Com a morte, há dias, de António Maria Pereira, a França perdeu um grande amigo em Portugal.

O cosmopolita e bem sucedido advogado de Lisboa, especialista reputado em propriedade intelectual, que desapareceu aos 85 anos, foi o criador do Círculo Voltaire, que, durante anos, trouxe a Portugal vultos importantes da cultura francesa.

Em reconhecimento dessa dedicação, em 2002, a Academia Francesa atribuiu-lhe um "Prix du Rayonnement de la Langue et de la Littérature française".

Para além dessa dimensão francófila, António Maria Pereira era o orgulhoso descendente de uma familia de importantes editores portugueses e, no plano dos valores, um grande defensor dos direitos humanos e, com grande e regular evidência pública, dos direitos dos animais. Foi, também, em Portugal, das pessoas que mais abertamente apoiaram a criação do Tribunal Penal Internacional (TPI), quando a respectiva consagração era ainda insegura.

Um homem de bem, portanto.

2 comentários:

Paulo M. A. Martins disse...

... E Portugal, sobretudo, acaba de perder um Humanista e grande vulto da Cultura.
Curvemo-nos!
As nossas mais sentidas Homenagens!
R.I.P.

Jorge da Paz disse...

Caríssimo Sr. Embaixador:

Congratulo-me por este seu post de justa homenagem a António Maria Pereira, sem dúvida um excelente Advogado, mas principalmente um grande humanista e um político com valores, daqueles que já existem poucos.

Curiosamente, pouco antes dele julgo que com a mesma idade, faleceu outro Advogado e político com perfil idêntico: o Dr. Fernando Amaral (ex-Presidente da AR).

Eram homens livtres e de bons costumes. Paz à alma de ambos!

As melhorse saudações,
Jorge da Paz